Estadão aposentará formato standard para adoção do berliner em sua edição impressa

A mudança entrará em vigor a partir deste domingo (17 outubro). Confira mais detalhes nesta edição da coluna NOTAS TROPICAIS, que tem ainda informações sobre o falecimento do jornalista Verdelírio Barbosa e o novo clipe do Charme Chulo

Notícia para sacudir as engrenagens da imprensa brasileira. O tradicional jornalão O Estado de S.Paulo, verdadeiro bastião do conservadorismo quatrocentão paulistano, vai mudar o formato de sua edição impressa. Sai de cena o standard (aquele dos cadernos dobráveis, com dimensões de 600 x 750 mm), para a entrada do berliner (tamanho padrão 315 x 470 mm), que é um pouco maior do que o tabloide (utilizado pelo CORREIO, em Guarapuava).

A mudança entrará em vigor a partir deste domingo (17 outubro). A novidade, confirmada pela empresa de comunicação no feriado de Nossa Senhora Aparecida, havia sido divulgada há duas semanas pelo colunista Guilherme Amado, do Metrópoles.

Ao abordar a mudança do formato a ser entregue nas bancas e aos assinantes, a direção do Estadão avisa que a decisão pela escolha novo modelo impresso foi fruto de 11 meses de trabalho, com direito a ouvir leitores e realização de pesquisas. Além da troca visual, há a promessa de novas seções para “aprofundamento e o contexto dos fatos”.

Casos
A mudança no famoso jornal da família Mesquita não é inédita no Brasil. Um dos casos mais famosos é o do Jornal do Brasil, que adotou o berliner antes do fim do impresso em 2010 para focar no online (depois, houve uma tentativa fracassada de retorno do JB ao velho formato “jornalão”). Também tem a paranaense Gazeta do Povo, que mudou de tamanho e, passado um tempo, encerrou a circulação em bancas. Mais recentemente, a Folha de Londrina migrou do standard para o berliner, adotando cores em todas as páginas; mas segue sendo impressa.

Antes de encerrar sua edição impressa, a Gazeta apostou no formato berliner (Foto: www.michellhilton.com)

Estreia
A banda paranaense Charme Chulo estreia seu novo clipe nesta sexta-feira (15). Trata-se de “Rabo de foguete” (youtube.com/charmechulo), versão audiovisual para faixa homônima do álbum “O negócio é o seguinte”, disponível em todas as plataformas digitais. O clipe tem direção de Isabella Mariana, produção da B.O. Filmes e participações de Mariana Rodrigues, Raphaella Concer e Thiago Beranger.

Verdelírio
O jornalista e diretor do Jornal do Povo (de Maringá), Verdelírio Barbosa, faleceu na noite desta quarta-feira (13 outubro) em decorrência de uma pneumonia. Ele estava internado desde o dia 3 de setembro e seu quadro piorou nos últimos dias. Nascido em 31 de março de 1941, natural de Potirendaba, São Paulo, Verdelírio chegou a Maringá ainda garoto com seus pais José Firmino Barbosa e Maria Cassiano da Fonseca.

Verdelírio Barbosa fez história na imprensa de Maringá (Foto: CMM)

Verdelírio 2
Em 1991, Verde, como era carinhosamente conhecido, tornou-se proprietário do Jornal do Povo, hoje o único impresso que resistiu a mudança dos tempos e circula diariamente em Maringá e região. Seus filhos Deny, Dayani e Danyani seguiram os passos do pai e atuam também na comunicação.

Verdelírio 3
Segundo o site Maringá News, Verde atuou ainda no rádio maringaense, comandando programa diário na Rádio Cultura, das 11h às 12h. Foi colunista de O Diário do Norte do Paraná, O Jornal (do qual chegou a ser sócio) e Jornal do Povo, além de semanários. Fez parte da bancada que apresentava o telejornal da TV Maringá (Band) nos anos de 1990 e comandou outros programas jornalísticos na mesma emissora.