Guarapuava já registrou mais de 4 mil casos de Covid-19 desde o início do ano de 2022

Ao CORREIO, a Prefeitura de Guarapuava afirmou que o aumento provavelmente tem relação com a variante Ômicron, assim como o não registro de óbitos com a vacinação

Desde o início de 2022, Guarapuava vem registrando diariamente um número expressivo de casos positivos de Covid-19. Até esta quinta-feira (13 janeiro), o município contabilizava 3.461 ativos, aqueles pacientes que têm possibilidade de transmitir a doença.

Em levantamento realizado junto aos boletins oficiais da Prefeitura, o CORREIO fez comparativas entre os 13 primeiros dias deste ano e os últimos 13 do ano passado.

De 19 a 31 de dezembro de 2021, Guarapuava teve o total de 231 confirmações somadas entre esses dias. O maior registro em um dia foi no dia 29, que teve 59 novos positivos para o novo coronavírus.

Já do dia 1º a 13 de janeiro, foram 4.114, um aumento de 1.680,95% em relação a mesma quantidade de dias do mês de dezembro. Na quinta-feira (13), houve um recorde com 825 positivos em um dia, o maior número desde o início da pandemia em 2020.

De acordo com a Prefeitura, em nota encaminhada a pedido do CORREIO, Guarapuava teve um aumento exponencial dos casos de covid-19 como reflexo dos últimos 15 dias, provavelmente relacionada a variante Ômicron, de transmissão mais rápida. No entanto, a mesma nota destaca que ainda não existem resultados oficiais de exames que atestem a presença dela, e que em função da circulação atual do vírus a tendência é que a taxa de transmissão permaneça alta.

O total de pessoas infectadas desde 2020 soma 30.830 (até o boletim atualizado na quinta-feira, dia 13). Durante os períodos analisados, Guarapuava se manteve dentro da bandeira amarela variando entre os índices 1 e 9, mas com repetição da matriz 9 nos últimos dias; ou seja, aproximando-se perigosamente da bandeira laranja.

ÓBITOS
Os boletins epidemiológicos mostram que o número de óbitos não acompanhou a subida dos registros de casos. Nos últimos 13 dias de dezembro, houve apenas uma morte em decorrência da doença no município. Este ano Guarapuava ainda não confirmou óbitos por Covid-19.

Conforme a Prefeitura, mesmo com a alta nos casos, o município tem hoje uma baixa taxa de ocupação de leitos nos hospitais. A nota pontua que isso está relacionado à imunização. A situação é bem diferente de maio de 2021, quando o sistema de saúde entrou em colapso e apenas uma parte dos moradores havia se vacinado.

(Foto: Ilustrativa)

VACINAÇÃO
Nesta quinta-feira (13 janeiro), Guarapuava atingiu 83,07% de guarapuavanos com, ao menos, a primeira dose, 67,93% com a segunda; e 22,16% com a terceira dose de reforço.

Segundo o site da Prefeitura, em 9 dias de vacinação neste mês de janeiro, 22.897 pessoas buscaram as Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Guarapuava para receber a vacina contra a Covid-19. Desse total, 16.902 tomaram a 3ª dose, um aumento de 69% de aplicação dessas doses de reforço em comparação com o total alcançado até 30 de dezembro de 2021.

A grande procura zerou os estoques do imunizante da Pfizer, indicadas para aplicação de primeiras e terceiras doses. O município aguarda o recebimento de novo lote encaminhado pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesa) para dar continuidade à vacinação. Ainda não há previsão de quando isso deve ocorrer.

A expectativa é que, até esta segunda-feira (17), chegue o primeiro lote de vacinas para crianças. A quantidade ainda não foi informada. O imunizante deve ser destinado para crianças com idade entre 11 e 5 anos, tendo como grupo prioritário, as crianças imunocomprometidas e com comorbidades. O calendário de vacinação desse público ainda será divulgado.