Coletores atuam em todos os bairros de Guarapuava para deixar a cidade limpa e orientam a população

Diariamente são coletados 100 toneladas de resíduos em Guarapuava; os funcionários alertam para o descarte incorreto que pode ferir os profissionais e trazer danos ao meio ambiente

Faça chuva ou faça sol. Frio ou calor. Manhã, tarde ou noite. No centro e nos bairros. Todos os dias os coletores percorrem as ruas do município de Guarapuava com um objetivo em comum: recolher os resíduos sólidos e manter a cidade limpa. Diariamente, os 93 funcionários da Companhia de Serviços de Urbanização de Guarapuava (Surg) recolhem 100 toneladas de resíduos.

Mesmo em ruas tranquilas, motoristas mostram impaciência para aguardar o caminhão. A velocidade média durante a coleta é de 7 km/h e é comum os coletores escutarem buzinas enquanto trabalham. “Não é uma rotina muito fácil, né? Mas ficamos satisfeitos quando vemos que tudo ficou limpinho. Algumas pessoas ficam estressadas no trânsito, principalmente quando o caminhão para e fica alguns minutos no meio da rua, falta muita paciência, né?”, contou o motorista da coleta, Anderson Schuaigeert. 

Marcos Roberto, trabalha há cinco anos como coletor. Com cicatrizes nos braços, ele conta que o principal risco para a saúde do trabalhador é manusear material descartado inadequadamente. “As pessoas poderiam ajudar mais, muita gente ainda descartam os resíduos de forma irregular, colocam no meio do lixo seringas, caco de vidro ”, explica Marcos. 

Já no fim da tarde, o coletor Leylsoin Josef chega ao bairro Jardim Aeroporto para coletar os resíduos, animando as crianças que residem na região. “As crianças sempre ficam esperando o caminhão passar em frente a casa, porque nós fazemos malabarismo, brincamos e nos divertimos enquanto trabalhamos, não dá para desanimar”, conta Leylsoin. 

O presidente da Surg, Halmuth Brandtner, destacou a importância desses profissionais no dia a dia. “Para muitos, a sensação é de que são seres invisíveis. Por outro lado, temos a certeza de que o trabalho desempenhado é essencial. Por isso, contamos com a colaboração de todos para manter a cidade limpa”, expõe o presidente. 

DESCARTE 

Os sacos destinados à coleta da Surg devem conter apenas rejeito e orgânico como restos de alimentos, fraldas, papel higiênico e todo material não reciclável. Já os vidros, metais, papéis e plásticos devem ser separados para a coleta seletiva. 

No caso dos resíduos de saúde, como seringas e materiais descartáveis, devem ser descartadas nos ecopontos oficiais de logística reversa os quais recebem a destinação ambientalmente correta. Em alguns casos, podem ser entregues nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Para orientar a população sobre como colaborar para manter a limpeza urbana e descartar o lixo de forma correta, sem danos ao meio ambiente e aos profissionais, funcionários da Surg administram páginas nas redes sociais como Amiguinhos Coletores e Cidade Limpa.

Confira o vídeo que ilustra o trabalho desses profissionais. 

**********Texto da Secretaria de Comunicação (Secom), com alterações.