Edibar, criação do artista paranaense Lucio Oliveira, concorre em duas categorias do XIX Troféus Central Comics

É o único prêmio da banda desenhada portuguesa realizado por escrutínio público, em que os próprios leitores e fãs, mas também os profissionais do setor, determinam os vencedores

A criação mais famosa do artista gráfico paranaense Lucio Oliveira, Edibar, concorre em duas categorias no XIX Troféus Central Comics (TCC). Este é o único prêmio da banda desenhada (como são chamados os quadrinhos além-mar) de Portugal realizado por escrutínio público, em que os próprios leitores e fãs, mas também os profissionais do setor, determinam os vencedores.

Essa premiação entrou na fase decisiva e “nomeados finais” estão à disposição para que o público escolha os melhores em cada uma das 15 categorias. A consagração dos vencedores será realizada a 26 de março, no Coimbra BD (Biblioteca Municipal de Coimbra).

Famoso nas tirinhas de jornal e nas redes sociais, com milhares de curtidas e compartilhamentos diários, o personagem Edibar da Silva, um cara chegado em cerveja e casado com a Edimunda, concorre com a coleção publicada pela editora portuguesa Polvo.

Para votar no “nosso cafajeste preferido”, é simples: basta acessar o site do TCC (clique aqui), depois clicar em “Edibar (Polvo)” nas seguintes categorias: “Melhor Série/Coleção” e “Melhor Publicação Humor”. Em seguida, é só “enviar”.

Coleção publicada pela editora portuguesa Polvo (Foto: Arquivo Pessoal/Edibar da Silva)

HISTÓRICO
Lucio Oliveira e Edibar têm histórico pé quente no Troféus Central Comics. Ou seja, não são apenas do “pé vermelho”, já que o artista é de Apucarana, no Norte do Paraná, onde o povo é conhecido por causa da terra vermelha.

Em 2020, Edibar faturou a categoria “Melhor Publicação de Humor” do TCC, somando 48% dos votos. À época, o personagem venceu graças ao livro “Edibar – Volume 1”, também publicado pela Polvo (do editor Rui Brito).

Em resumo, a verve humorística do nosso cervejeiro atravessa oceanos.

(Arte: Lucio Oliveira)

PERSONAGEM
Barrigudo, careca, amoral e cara-de-pau, Edibar é o típico anti-herói que conquista os leitores pelos defeitos e virtudes (se é que tem alguma) identificáveis naquele tipo de pessoa, familiar a muita gente, que faz da mesa de um qualquer bar um cantinho filosófico da vida e cujo desporto preferido é passar horas a cultivar amizades enquanto demonstra uma incrível capacidade de levantar copos.

“Acompanhado, entre outros, pela mulher, Edimunda, pelo fiel escudeiro Zé Manguaça, por Gole, o seu cão, e pela terrível sogra Dona Ana Conda, Edibar desvenda-nos as suas aventuras etílicas através de um humor politicamente incorrecto saído da cabeça e do traço criativo de Lucio Oliveira, um brasileiro do estado do Paraná que se compara a um vampiro que suga gotas de humor do dia-a-dia e as transforma em tiras de boa disposição!”, diz a descrição da Polvo.

EDITORAS

Diante da repercussão do personagem e de sua trajetória premiada, é de se estranhar que Edibar não tenha ainda o devido tratamento editorial por parte das editoras brasileiras. Geralmente, os livros disponíveis do personagem são publicações independentes ou edições mais antigas por casas como a HQM.

SERVIÇO

Para conhecer mais do Edibar, acesse seu perfil oficial no Facebook (https://www.facebook.com/edibardasilva) e no Instagram (https://www.instagram.com/edibardasilvaoficial/).

Seus livros e produtos licenciados (camisetas, por exemplo) podem ser adquiridos no site https://www.edibar.com.br/