Menos de um mês após cirurgia na cabeça, volante do Cianorte começa trabalho com bola

Éverton Morelli sofreu hematoma intracraniano no dia 3, levou 24 pontos na cabeça e se recupera em clínica de Ribeirão Preto, sua cidade natal. Acompanhe também outras notícias da coluna Notas Esportivas: comissão técnica do Aruko Sports, jogo-treino entre PSTC e Arapongas EC, arbitral da 3ª Divisão, convocação de Alex Pereira Witkovski para os Jogos Paralímpicos

O volante Éverton Morelli, do Cianorte-PR, voltou a treinar com bola na clínica de fisioterapia Physio Athletic, em Ribeirão Preto-SP, menos de um mês depois da cirurgia realizada às pressas para conter um traumatismo cranioencefálico, causado por um choque de cabeça em partida contra o Boavista, em Saquarema-RJ, pela quinta rodada da Série D do Brasileiro. As informações são de assessoria.

Em Morelli, a lesão gerou um hematoma intracraniano que foi curado, mas em casos extremos pode abreviar a carreira de um jogador, segundo o responsável técnico pela reabilitação clínica, o fisioterapeuta Pericles Machado, que tem 30 anos de experiência no esporte e já trabalhou no Botafogo-SP em duas oportunidades.

A cirurgia ocorreu na madrugada do dia 4, ainda no Estado do Rio de Janeiro, e durou cerca de duas horas. Graças à agilidade e ao êxito no procedimento, Morelli não ficou com lesões irreversíveis. Nos primeiros dias ele sofreu com perda de força, coordenação e equilíbrio, além de ter tontura várias vezes. A recuperação clínica começou uma semana após a cirurgia, com trabalhos leves para que o atleta ganhasse confiança. Conforme demonstrava evolução, a frequência e a intensidade aumentavam. Até que na última semana de julho, a terceira de tratamento clínico, ele voltou a trabalhar com bola em pequenos circuitos.

Treinos
Quando voltar ao Cianorte, o volante estará liberado para realizar treinos de cabeceio e também para atividades com todo elenco, restando apenas eventuais trabalhos de preparo físico, de acordo com a avaliação da comissão técnica. “Essa é uma lesão atípica e pode ser muito grave, mas pelo que estamos vendo agora podemos dizer que o Morelli teve um final feliz”, celebra Pericles Machado, que cuida do atleta junto com o fisioterapeuta Carlos Eduardo Juventino.

Convocação
A maior delegação da história do Paraná nos Jogos de Tóquio 2020 acaba de crescer. Isso porque o atleta Alex Pereira Witkovski foi convocado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro a integrar a equipe de voleibol sentado, que disputará os Jogos Paralímpicos entre os dias 24 de agosto e 5 de setembro de 2021. Com seu nome integrado à lista, o Paraná contará com 36 representantes entre técnicos e atletas olímpicos e paralímpicos.

(Arte: Paraná Esporte)

Convocação 2
Alex é calouro no Geração Olímpica e foi contemplado na Categoria Nacional em 2021. Sua carreira esportiva é bastante linear, tendo conquistado o bronze nos Parajaps em 2017, prata em 2018 e, em 2019, sagrando-se campeão brasileiro da série prata. Esta é a primeira vez que participa de uma competição internacional, e suas expectativas para os jogos não poderiam ser maiores.

Aruko
Dentro de campo, o novo Aruko Sports Brasil ainda é uma incógnita, pois a 3ª Divisão de 2021 será o primeiro campeonato profissional de sua história. Mas fora dele, o clube maringaense tem mostrado organização nas redes sociais. Recentemente, o Samurai Black passou a divulgar sua comissão técnica para o Campeonato Paranaense da 3ª Divisão. Por enquanto, o nome do técnico ainda é mistério.

Aruko 2
O Aruko anunciou o nome de Claudemir Marques para a função de preparador de goleiros. Especialista pelo CREF-9 em educação física, Claudemir Marques atuou pelo Águia Futebol, pela escola de futebol do Jandaia Esporte Clube e pelo Maringá Futebol Clube. Desde 2018 integra a comissão técnica do sub-19 do Instituto Alex Santos.

Aruko 3
O preparador físico é André Souza, natural de Apucarana. Licenciado em Educação Física pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), é especialista em treinamento esportivo. Esteve no Águia Maringá, Olé Brasil (SP), Botafogo Futebol Clube – Ribeirão Preto (SP), das categorias de base ao profissional, Clube Atlético Patrocinense (MG), Uberaba Sport Clube (MG, Barretos Esporte Clube (SP) e mais recentemente no Maringá Futebol Clube, atuando pelo profissional em 2020.

Aruko 4
O analista de desempenho é Alex Francisco. Licenciado e Bacharel em Educação Física pela UniCesumar, tem Pós-Graduação em atividade física para saúde e treinamento pela mesma Universidade. Possui também cursos como “Análise de Mercado, desempenho e scouting” e “Gestão de clubes de futebol” da Universidade do Futebol e “Formação de base no futebol” da GO UP Football.

PSTC
Em pré-temporada, o PSTC participou de um jogo-treino contra o visitante Arapongas EC, na tarde desta quarta-feira (28), no Centro de Treinamento em Londrina. Vitória dos donos casa por 5 a 0 (gols de João, Felipe, Alisson Tiberes, Pepe e Dante). O PSTC se prepara para a Divisão de Acesso, que começa em 28 de agosto.

PSTC 2
Até o início do Campeonato Paranaense da 2ª Divisão, a equipe de Cornélio Procópio/Londrina deve enfrentar outras quatro equipes, em busca de encontrar o entrosamento ideal na busca pelo acesso à elite do futebol estadual. O time é dirigido pelo técnico Reginaldo Vital.

Volante Giba valoriza posse de bola contra o Arapongas (Foto: Sheila Dantas)

Arapongas
Já o Arapongas EC é um dos clubes do Norte do Paraná candidatos à disputa da 3ª Divisão do Paranaense. Assim, o município de Arapongas poderá ter dois times na edição deste ano com a possível participação também do Laranja Mecânica, que se filiou profissionalmente à Federação Paranaense de Futebol (FPF).

Arbitral
Nesta sexta-feira (30), às 15h, clubes com inscrição deferida e FPF se reúnem por meio de videoconferência para o Conselho Arbitral do Campeonato Paranaense de Futebol Profissional da 3ª Divisão – Temporada 2021. É no congresso técnico que será definida a fórmula de disputa e escolhidas as datas de início/término da Terceirona.

Guarapuava
O município de Guarapuava deve ser representado na 3ª Divisão do Paranaense pela Associação Atlética Batel, cujo elenco é formado no momento por jogadores do Sub-19. Já o novo Guarapuava FC, criado pelo ex-jogador Paulo Vogt, jogará a Terceirona apenas em 2022.