Parceria entre BRDE e Sicredi estimula acesso ao Banco do Agricultor Paranaense

O Banco do Agricultor tem a finalidade de promover irrigação e geração de energia fotovoltaica no campo. Ele conta com subvenção econômica do Governo do Paraná

A parceria entre o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e o Sistema de Crédito Cooperativo (Sicredi) proporcionou R$ 101 milhões em investimentos no Paraná entre julho de 2021 e maio de 2022. Nesse sistema, o BRDE repassa recursos para o Sicredi, que opera o financiamento no mercado, especialmente junto aos pequenos tomadores.

Boa parte dos recursos foi direcionada dentro do programa Banco do Agricultor Paranaense, parceria entre o Governo do Estado, o BRDE e a Fomento Paraná, que conta com subvenção de parte dos juros pela administração estadual, após o empréstimo junto às instituições financeiras.

Durante esse período, foram 450 projetos atendidos com linhas de crédito que promovem sustentabilidade, inovação, coletividade ou bioeconomia. O Banco do Agricultor tem a finalidade de promover irrigação e geração de energia fotovoltaica no campo.

“A união entre BRDE, Fomento Paraná, governo estadual e Sicredi tem rendido bons frutos ao longo dos anos. Dessa maneira, o BRDE se move em direção aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU”, ressaltou o presidente do BRDE, Wilson Bley Lipski.

“A agricultura tem uma grande participação na economia paranaense e a presença do Estado, com assistência técnica e crédito, estimula a produção e melhora a produtividade, especialmente para a agricultura familiar”, acrescentou o diretor-presidente da Fomento Paraná, Heraldo Neves.

Para o secretário de Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, a agricultura paranaense vive de parcerias com vários setores, sendo que o Banco do Agricultor é uma delas. “É o que garante um projeto inteligente, eficaz, inclusivo e participativo. O Estado cumpre, assim, uma de suas missões, que é atender com prioridade aqueles que mais necessitam e que teriam maiores dificuldades de crescer se não pudessem contar essa mão”, disse.

“Esses R$ 101 milhões são reflexo de uma parceria histórica que vem financiando o produtor rural, e também de uma estratégia do Estado e das instituições financeiras de atender pequenos empreendedores. Ou seja, fomentar o desenvolvimento com investimentos a longo prazo”, arrematou Paulo Cesar Starke, superintendente do BRDE.

O gerente de Desenvolvimento de Negócios da Central Sicredi, Gilson Nogueira Farias, lembrou que a renovação da matriz energética é uma das contribuições sociais dessa parceria. “Esperamos continuar contribuindo para com essa renovação da matriz energética que beneficia a todos, melhora a qualidade de vida, agrega renda e contribui para o meio ambiente”, destacou.

Além disso, Gilson lembra que o Banco Agricultor oferece subsídios melhores para contratos em municípios com Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) mais baixo do que a média estadual. “Quanto menor é o IDH do município, maior é o subsídio oferecido pelo Governo pelo Banco do Agricultor, a fim de incentivar ainda mais a utilização de recursos nessas cidades”, explicou.

BANCO DO AGRICULTOR

Lançado em 2021, o Banco do Agricultor Paranaense é um instrumento que possibilita ao Estado conceder subvenção econômica a produtores rurais, cooperativas e associações de produção, comercialização e reciclagem, e a agroindústrias familiares, além de projetos que utilizem fontes renováveis de geração de energia e programas destinados à irrigação, entre outros.