Quando ‘o pouco, em conjunto, vira muito’: conheça ações positivas em Guarapuava

Conheça os projetos Marina Karam, Anjos Inocentes e um trabalho voluntário existente há mais de 10 anos, iniciativas de cuidado ao próximo que vêm fazendo história em Guarapuava

O amor e cuidado ao próximo são as bases carregadas por inúmeros projetos sociais. Em Guarapuava, não é diferente. Idealizado a partir de uma fala, o Projeto Marina Karam Primak – Realizando Sonhos com Amor vem buscando propiciar condições de vida melhores a crianças e adolescentes.

Foi a partir dessa ideia que a empresária, enfermeira responsável técnica da empresa Ictus e mãe da jovem Marina Karam Primak, Nuhar Karam, decidiu arrecadar cestas básicas para doar a outros dois projetos guarapuavanos, o Anjos Inocentes e o trabalho voluntário realizado por Jefersom Paulo, mais conhecido como Pelé.

A data que motivou a nova ação foi o aniversário da filha Marina (12 anos), que faleceu de câncer em maio do ano passado. De acordo com a mãe, a notícia dolorosa deu início a um pensamento solidário, “eu decidi que todo o investimento que eu faria com ela eu repassaria para outras crianças, como a escola que eu teria que pagar, o balé… Então, tudo o que eu faria pela minha filha eu iria continuar fazendo por outras crianças”, comentou Nuhar.

O Studio de Dança La Bayadère, o qual Marina fazia parte, é o parceiro do projeto. Sobre isso, a professora de ballet e proprietária do studio, Marcela Mendes, destaca que o Projeto Marina Karam Primak iniciou com o objetivo de promover a alfabetização para a vida através da dança, música, teatro e também da leitura para crianças e pré-adolescentes. Dessa forma, “resgatando valores, preparando cidadãos responsáveis e conscientes para modificarem seu próprio meio”, salientou a professora de dança. Hoje, seis bailarinos do Studio são atendidos pelo projeto.

Em entrevista ao CORREIO, Nuhar explicou que foi a partir de uma interação entre elas que o nome do projeto surgiu. A enfermeira contou que a filha havia dito para a professora sobre uma ação social que elas haviam realizado, enquanto Marcela teria respondido “olha aí, a Marina realizando sonhos com amor”. Por meio dessa frase, então, o projeto Marina Karam nasceu.

(Foto: Divulgação/Arquivo Anjos Inocentes)

AÇÃO QUE ALIMENTA
Através de todo o esforço realizado pelos três voluntários, Nuhar, Jefersom e Vinícius, um dos participantes do Anjos Inocentes, o projeto Marina conseguiu arrecadar 40 cestas básicas, em 14 de abril. Acerca disso, Nuhar relembra que “o pouquinho que podemos fazer pode minimizar o sofrimento das famílias que estão passando necessidade, passando fome”.

Os alimentos recolhidos foram, depois de contabilizados, divididos para o Projeto Anjos Inocentes e para o trabalho voluntário realizado por Jefesom, o Pelé de Guarapuava que faz gols em forma de ações sociais.

VOLUNTARIADO
Jefersom Paulo é um dos rapazes envolvidos na arrecadação das cestas para as famílias carentes da cidade. Conforme Pelé, seu apelido, a busca em ajudar o próximo vem desde a infância, quando via seus pais, pastores, agindo em prol dos outros, fosse por meio de rifas solidarias ou ações sociais.

Foi assim que há mais de 10 anos o guarapuavano deu início a seus trabalhos solidários na cidade. Para o funcionário público, músico e agitador musical e cultural, a atitude é algo corriqueira na sua vida, “Eu tenho um trabalho com alguns amigos que a gente faz há muitos anos… Há mais de 10 anos, eu faço a Páscoa, o Natal e o Dia das Crianças”.

O músico completa que a sua parte das cestas será destinada a bairros guarapuavanos onde ações sociais com parceiros já vêm sendo desenvolvidas. Entre elas, Jefersom destaca a banca solidária de um amigo, no bairro Colibri. “É lindo o projeto que ele faz dentro do bairro”, adicionou Pelé. Alcançando, dessa forma, um número maior de pessoas beneficiadas pela ação.

(Foto: Arquivo Pessoal/Pelé)


ANJOS INOCENTES
Outro projeto que vem unindo forças para suprir a carência em Guarapuava é o Anjos Inocentes. Situado no bairro Residencial 2000, o programa voluntário atende crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social.

O universitário e atuante no projeto Vinícius Solak Teixeira discorre que, por meio das oficinas oferecidas, os participantes podem sair do local tendo um ofício a exercer, a panificação.

Além da profissão, Vinícius explica que através do trabalho desenvolvido pelo Anjos Inocentes muitas crianças conseguem ter todas as refeições diárias de forma correta, “é no projeto que aquelas crianças e adolescentes têm a certeza de que terão três refeições por dia (café da manhã, almoço e lanche da tarde). Esse ritmo alimentar surgiu da necessidade das crianças que estavam desenvolvendo desnutrição.”, comentou o estudante. Junto a isso, a ação também oferece atividades esportivas e culturais, como o futebol, judô, muay-thai, artesanato e pintura.

Como a base do projeto é o bem ao próximo, muitos parceiros vêm servindo de alicerce para que, cada vez mais, o Anjos Inocentes possa ofertar melhores condições de vida aos atendidos. Garantindo, assim, acesso a médicos, dentistas e psicólogos que se dispõem a auxiliar de maneira voluntária.

Dessa forma, esses e outros projetos vêm interferindo de maneira saudável na infância de muitos guarapuavanos, melhorando e capacitando crianças, adolescentes e em alguns casos adultos, a terem uma vida mais segura e digna. Sobre isso, Nuhar complementa: “eu acho que a gente tem que mostrar para o ser humano que o pouco que a gente faz, somando, fica muito”.

***********Reportagem: Samilli Penteado, especial para CORREIO