Profissionais da Copasa visitam unidades da Sanepar em Guarapuava e Curitiba

Companhia de Saneamento de Minas Gerais visitou unidades de gerenciamento de lodo na região de Guarapuava para implantar seu primeiro projeto-piloto naquele estado

As Unidades de Gerenciamento de Lodo (UGLs) da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) vão servir de modelo para a implantação de sistema idêntico na Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa). Engenheiros e técnicos da Companhia mineira estiveram na Sanepar em janeiro para conhecer todo o processo de separação, tratamento e destinação do lodo de esgoto da empresa. Eles visitaram as UGLs de Pitanga e de Guarapuava, além da estação de tratamento de esgoto Vassoural, em Guarapuava, e das estações de tratamento em Pitanga, Pinhão e Turvo, e unidades da Sanepar em Curitiba.

“Visitamos a UGL de Pitanga para conhecer uma unidade de menor porte, semelhante à que temos intuito de implantar na Copasa, e uma de maior porte, em Guarapuava. Nosso objetivo é implementar uma UGL a partir da experiência que conhecemos na Sanepar”, afirma a gerente da Gerência Regional da Copasa em Frutal (MG), Elenice Louback Barros. Representantes da Gerência Regional Araxá e da Unidade de Serviço Operacional Oeste também vieram ao Paraná.

A gerente reforça que o interesse maior era em conhecer o modelo de gerenciamento de lodo da Sanepar, pois a companhia mineira pretende implantar sua primeira UGL. “A Copasa ainda não trabalha com o reúso do biossólido. Vamos começar com um projeto-piloto, na ETE do município de Pirajuba”. Aproveitaram para conhecer estações de tratamento de menor porte na região. “Nas ETEs de Turvo e Pinhão, unidades pequenas, mas totalmente automatizadas, percebemos que a Sanepar se antecipa à tecnologia e à modernização, buscando novos processos que atendam a novos padrões”, enfatiza Elenice.

A gestora da Copasa diz que a equipe ficou impressionada com a estrutura e os processos desenvolvidos na empresa paranaense. “Voltei muito encantada com a gestão e a organização da Sanepar, com a tecnologia utilizada. A Companhia está de parabéns. Nos chamou atenção o Serviço de Manutenção (SME) e a automação das estações de tratamento, das estações elevatórias de esgoto, dos processos de gradeamento e manuseio do lodo, a automação de toda a parte operacional, a interação com a tecnologia, os operadores de ETE bastante capacitados. Fiquei maravilhada.”

Técnicos da Sanepar de Guarapuava e de Curitiba acompanharam os profissionais da Copasa. A engenheira agrônoma da Sanepar, Simone Bittencourt, relata que nas estações de tratamento de esgoto de Guarapuava e de Pitanga foram apresentados a operação dos leitos de secagem e da centrífuga de desaguamento de lodo, a higienização por estabilização alcalina prolongada com betoneira e misturador mecânico, e o processo de formação de lotes de lodo para destinação agrícola. “Durante as visitas eles demonstraram interesse também em conhecer o nosso tratamento de esgoto, como o processo de tratamento modular por lodos ativados e o pós-tratamento modular físico-químico”, explica a engenheira.

A Sanepar foi pioneira, na década de 1990, nas pesquisas e no uso do lodo de esgoto em culturas agrícolas. A Companhia possui atualmente 49 Unidades de Gerenciamento de Lodo no estado e, de 2007 até 2020, destinou mais de 320 mil toneladas de lodo para agricultores em todo o Paraná. Na Gerência Regional de Guarapuava 100% do lodo resultante das ETEs da Sanepar é destinado à agricultura. O material é entregue gratuitamente para agricultores pré-cadastrados para aplicação em culturas permitidas e áreas aptas a recebê-lo. O Programa de Uso Agrícola do Lodo de Esgoto é apoiado por entidades do setor agrícola, cooperativas, secretarias de agricultura e pelo Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR), órgão que incorporou a Emater. Mais informações sobre o programa no e-mail [email protected].