Mulheres com Síndrome do Ovário Policístico podem engravidar

Uma doença que tem tratamento e pode ser diagnosticada com um simples exame de ultrassom

Ela é um pesadelo para muitas mulheres. A Síndrome do Ovário Policístico, muitas vezes, é a responsável pelo aumento de peso e, em alguns casos, pela dificuldade em engravidar. No Brasil, cerca de 20% a 30% as mulheres são portadoras da síndrome, e um simples exame de ultrassom ginecológico é suficiente para diagnosticar a doença.

Além dos problemas citados, a síndrome também é uma das responsáveis pela menstruação desregulada, infertilidade, acne e hirsutismo – caracterizado pelo crescimento e engrossamento de pelos no rosto, nos seios e na região mediana do abdômen.

A médica Rosângela Maria Trovo Hidalgo, especialista em ginecologia e obstetrícia, e em radiologia com subespecialidade em radiologia mamária da CEDIP – Clínica de Exames de Diagnósticos por Imagem, explica que as causas do ovário policístico ainda são desconhecidas. “O que se sabe é que a enfermidade é caracterizada por uma irregularidade na produção de alguns hormônios, o que gera um aumento da resistência periférica da insulina, elevação da produção de hormônios masculinos – conhecidos por andrógenos – e um desequilíbrio na produção de outros dois hormônios importantes, o FSH e o LH”.

Segundo a especialista, como a causa da doença é desconhecida, o tratamento se baseia nos tipos de sintomas apresentados pelas pacientes. “Se a paciente não deseja engravidar e quer um controle do ciclo menstrual, aconselhamos o uso de anticoncepcionais orais”, orienta. “Caso ela apresente infertilidade, utilizam-se medicamentos orais para induzir a ovulação”, diz. Uma dica muito importante: dieta e exercícios físicos também podem ajudar no tratamento da doença, pois controlam a resistência à insulina, a hiperinsulinemia e os níveis de testosterona.

Uma boa notícia é que as mulheres portadoras do ovário policístico podem engravidar e realizar o sonho de ser mãe. Segundo a especialista, desde que realizem um tratamento adequando, escolhido de acordo com os sintomas apresentados, é possível ter uma gestação de sucesso.

CUIDADOS ESPECIAIS
Os cuidados com a saúde feminina devem ocorrer de maneira preventiva e eficiente, principalmente, quando ela quer engravidar ou está grávida. Alguns exames de imagem podem ser muito eficientes para auxiliar as mulheres e médicos neste momento. O primeiro deles é a ultrassonografia de abdômen, que avalia o funcionamento dos órgãos internos, como fígado e o pâncreas, além de contribuir para a detecção de nódulos, cistos, cálculos renais, além de ajudar a identificar dores abdominais, por exemplo. “Além desse exame, outro, a Mamografia Digital, que hoje em dia é mais confortável para as mulheres e ainda mais precisa na identificação de microcalcificações e lesões antes delas se tornarem clinicamente palpáveis”, explica a especialista.

Já durante a gravidez, um dos exames importantes é a ultrassonografia obstétrica, que ajuda no acompanhamento do pré-natal e a ultrassonografia 3D, que é uma complementação da obstétrica e possibilita que os pais possam observar o bebê em 3 dimensões.

Com unidades em Curitiba e em São José dos Pinhais, a CEDIP é uma clínica de exames e diagnósticos de Imagens, que conta com 31 anos de atuação. Atualmente conta com mais de 200 colaboradores, entre funcionários e médicos prestadores de serviços. Fundada em 1991, em 2021 passou a integrar a holding administradora de serviços da saúde, Hospital Care, junto com o Pilar Hospital.