IAT libera tubos para galerias pluviais em comunidades de Cruzeiro do Oeste

As obras beneficiarão duas comunidades que sofrem com alagamentos durante as chuvas e permitirão que o município realize obras de pavimentação, após a implantação das galerias pluviais para o escoamento da água da chuva

Com mais 1.109 tubos para galerias pluviais garantidos pelo Instituto Água e Terra (IAT), nesta quinta-feira (19), Cruzeiro do Oeste poderá dar início às obras de pavimentação nas ruas das comunidades Vila Rural e AABB.

Os convênios para a liberação dos tubos foram assinados pelo secretário estadual do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest), Márcio Nunes, durante inauguração do asfalto em frente à Frigo Astra.

“Para poder fazer asfalto, é preciso primeiro garantir a galeria de água pluvial, escoando corretamente a água da chuva. Essa região é de solo frágil e precisa de cuidados para evitar erosões”, disse.

Segundo a prefeita Maria Helena Bertoco, a falta de escoamento correto da água da chuva prejudica muitas famílias da cidade, com alagamentos. “Antes de qualquer melhoria de pavimentação, precisamos fazer essa obra de galerias pluviais. Já temos o recurso para o asfalto, mas faltava a drenagem, e com esses tubos levaremos mais qualidade de vida aos moradores”, disse.

A Vila Rural contém uma fábrica de produção de palmito em conserva, além de moradias. Já na comunidade AABB, em dias de chuva, muitas famílias não conseguem sair de casa devido à erosão. “Já fizemos obras de galeria pluvial no Jardim das Flores, com 1.500 tubos entregues pelo IAT”, afirmou a prefeita.

TUBOS

Os convênios com as prefeituras para aquisição de tubos de concreto para obras de galerias pluviais faz parte do projeto de drenagem, controle de cheias e de erosão do Instituto Água e Terra.

O objetivo é atender principalmente regiões de solos mais suscetíveis à formação de erosões nas cidades. Os tubos são disponibilizados pelo IAT através de projetos apresentados pelas prefeituras.

Somente em 2019 e 2020, foram entregues mais de 40 mil tubos para obras de galerias pluviais em diversas regiões do Estado. As espessuras variam de 0,40 m de diâmetro a 2,00 m de diâmetro, dependendo da necessidade de cada região.