Energisa Sul-Sudeste investe na instalação de luminárias de led na Unicentro, em Guarapuava

O projeto desenvolvido pela distribuidora visa maior luminosidade, segurança e a redução do valor da conta de luz da universidade

A Energisa Sul-Sudeste investiu na eficientização da iluminação na Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), em Guarapuava.

A empresa finalizou a substituição da tecnologia atual das luminárias, de lâmpadas fluorescentes por lâmpadas com tecnologia led em 5.463 pontos do campus, por meio do Projeto de Eficiência Energética (PEE).

Essa iniciativa, aprovada e regulamentada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), proporcionará a redução na demanda por energia, evitando desperdício e contribuindo para uma economia no valor da conta de luz da universidade.

 “Mesmo em um cenário complexo ocasionado pela pandemia do novo coronavírus, demos sequência na execução de diversas iniciativas importantes, seguindo todos os protocolos de saúde e segurança. Neste projeto, executado na universidade, em Guarapuava, a Energisa Sul-Sudeste investiu mais de R$ 264 mil. Os benefícios para a instituição são muitos, como a redução de demanda e consumo de energia elétrica, além da melhoria da iluminação e maior segurança dentro do campus. E mais, o led possui um ciclo de vida bem maior em relação aos sistemas convencionais, o que contribui para que a universidade administre melhor os recursos”, destaca o coordenador de Eficiência Energética da Energisa, Thiago Peres de Oliveira.

Com a substituição das luminárias, a instituição poderá economizar cerca de 324,64 MWh/ano (megawatt-hora/ ano), o que equivale ao consumo mensal de 135 residências com uso médio de 200 kWh por mês (quilowatts-hora/mês).  

“A troca de lâmpadas traz grandes benefícios para a nossa comunidade. Diariamente, em tempos normais, transitam cerca de 4 mil pessoas pelo campus e com maior luminosidade, maior será a segurança para essas pessoas. Além disso, essa troca contribui na parte pedagógica, pois locais mais claros ajudam no aprendizado. E os recursos economizados com a substituição serão investidos em novos equipamentos”, ressalta Ricardo Myahara diretor do campus.