Centros municipais de educação infantil seguem protocolos de prevenção à Covid-19

Hoje, 55% dos alunos matriculados frequentam as aulas de forma presencial, contabilizando uma média de 1.500 crianças em todos os 29 CMEIs

Desde o começo de agosto, as atividades nos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) vêm ocorrendo de forma gradativa. No dia 20 de setembro, foi a vez das turmas do Infantil I regressarem com atendimento presencial. 

Hoje, 55% dos alunos matriculados frequentam as aulas de forma presencial, contabilizando uma média de 1.500 crianças em todos os 29 CMEIs. Seguindo todos os protocolos de saúde exigidos, a volta tem sido bem sucedida, segundo a avaliação da Secretaria Municipal de Educação, não registrando nenhum caso de fechamento de Unidades Escolares neste período.

“A equipe da Secretaria Municipal de Educação e Cultura trabalha para garantir a entrega dos itens de segurança das Unidades de Ensino. Hoje contamos com espaços e equipes preparadas para que o ambiente escolar seja seguro”, afirma Pablo de Almeida, Secretário de Educação e Cultura. 

No CMEI Anastácia Ivanski, por exemplo, 60 alunos frequentam a Unidade e fazem as atividades presencialmente. Para manter o ambiente seguro, a equipe segue à risca o protocolo sanitário de prevenção à Covid-19. De acordo com a diretora, Fátima Barbosa, tudo foi feito para deixar o ambiente mais agradável. A recepção do CMEI, por exemplo, ganhou bichinhos nas calçadas que indicam o distanciamento de 1 metro e meio entre as crianças. 

“Desde a ideia dos bichinhos de jardim até o tapete sanitizante que deixamos logo na entrada, tudo é feito para mostrar como os cuidados são benéficos. Com o uso do álcool gel no totem da entrada é a mesma coisa; falamos que vamos fazer uma “mágica” ao pisar na plataforma para fazer o álcool sair”, conta a diretora.

Ao entrar no CMEI, as crianças têm a temperatura aferida, além de higienizar as mãos com álcool gel. Depois, as professoras levam os alunos para as salas, que foram adequadas com distanciamento correto entre as carteiras. 

No momento, a maior turma tem sete alunos. Por isso, a maior parte das atividades é feita na sala de cada turma. “As professoras guardam as mochilas dos alunos nos lugares corretos e entregam, na hora da saída, para evitar um fluxo desnecessário. Com turmas menores, os alunos fazem as refeições dentro das próprias salas”. 

Entre os educadores, as medidas de proteção são as mesmas.

**********Com informações da Secretaria de Comunicação (Secom).