Região de Guarapuava registra 50 mortes violentas de janeiro a setembro

Segundo o relatório divulgado pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), Guarapuava registrou 27 homicídios dolosos, um latrocínio e dois casos de lesão corporal com resultado morte no período

A região de Guarapuava, compreendida na 7ª Área Integrada de Segurança Pública, registrou, de janeiro a setembro de 2021, 50 ocorrências de mortes violentas. 

A informação consta no relatório estatístico divulgado nesta quarta-feira (24) pela Secretaria de Estado da Segurança Pública do Paraná (Sesp). 

De acordo com o documento, o município de Guarapuava possui os números mais elevados. Foram 27 homicídios dolosos, um latrocínio e dois casos de lesão corporal com resultado morte ao longo do período. 

Outros municípios com ocorrências de homicídio são Boa Ventura de São Roque (1), Campina do Simão (1), Candói (2), Manoel Ribas (1), Mato Rico (1), Pinhão (4), Prudentópolis (2), Reserva do Iguaçu (2) e Santa Maria do Oeste (2). 

Já no caso do latrocínio, que é o roubo seguido de morte, possuem casos Candói (1), Santa Maria do Oeste (1) e Turvo (1); além de Guarapuava, Reserva do Iguaçu (1) foi o único município com caso de lesão corporal com resultado morte. 

Segundo o documento da Sesp, Foz do Jordão, Pitanga e Nova Tebas não registraram mortes violentas de janeiro a setembro. Também, não há registro de feminicídios na 7ª Aisp durante o período analisado. 

A nível regional, é observada uma significativa queda nos números em comparação com 2020. À época, foram registrados 57 homicídios dolosos, duas ocorrências de latrocínios, quatro lesões corporais com resultado morte e dois feminicídios. Ou seja, 65 casos de mortes violentas. 

GPVA

Em comparação com o mesmo período do ano passado, Guarapuava também registrou 27 homicídios dolosos e um latrocínio. Há mudança nas ocorrências de lesão corporal, já que foram três nos nove primeiros meses do ano passado, e duas neste ano. 

Ao longo de 2020, a “terra do lobo bravo” contabilizou 33 homicídios dolosos, um latrocínio e três situações de lesão corporal com resultado morte. 

PARANÁ

O número de mortes violentas caiu 12,82% nos nove primeiros meses de 2021 no Paraná, em comparação com janeiro a setembro do ano anterior. O destaque é que em 174 municípios (43% do Estado) não houve ocorrências deste tipo de crime neste ano. Em 2020, neste período, foram 154 cidades sem mortes violentas.

O levantamento aponta que o número de casos registrados de janeiro a setembro caiu de 1.651 no ano passado para 1.466 no mesmo período deste ano – 187 mortes a menos. O indicador Mortes Violentas Intencionais é composto por crimes de homicídio dolosos, latrocínio, lesões corporais seguida de morte e feminicídios.

A redução desses crimes indica o acerto das estratégias adotadas pelas polícias. “A redução se deve ao trabalho das forças de segurança, por meio de uma estratégia específica, com ação direta e de inteligência policial contra o tráfico de drogas, principalmente, pois combatendo este crime, combate-se também o homicídio”, afirmou o secretário da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares.

Os quatro crimes analisados apresentaram redução no Estado no comparativo dos períodos de 2020 e 2021. No caso de homicídios dolosos, queda foi de 11,59% (de 1.511 para 1.354). Houve redução de 29,03% nos casos de lesão corporal seguida de morte (de 40 para 31), de 10,09% em feminicídio (de 55 para 49) e de 28,88% em roubo seguido de morte (latrocínio), de 45 para 32.

********Com ANPr