Polícia Militar continua em busca dos criminosos envolvidos no ataque a Guarapuava

Conforme o 16º Batalhão de Guarapuava, dois suspeitos já morreram durante confrontos com equipes, um em Guarapuava e outro em Ponta Grossa

Desde a tentativa de assalto à empresa Protege, no dia 17 de abril, a Polícia Militar vem se esforçando junto com outras forças de segurança na tentativa de localizar todos os bandidos envolvidos e desmantelar a associação criminosa responsável pela ação. 

Em informe divulgado na manhã de quarta-feira (4), a PM afirmou que, até o momento, já foram registrados dois confrontos armados com indivíduos suspeitos de envolvimento no ataque e pertencentes a uma facção criminosa. Um deles ocorreu em Guarapuava,  na semana passada, com uma equipe Choque do 16º Batalhão de Polícia Militar (BPM), e outro em Ponta Grossa no dia 2 de maio, com a equipe do Choque do 1º BPM. De acordo com a Polícia Militar, em ambas as situações os indivíduos estavam armados, confrontaram com as equipes e ambos os criminosos foram a óbito.

A corporação destaca que está usando de todos os esforços para efetuar a prisão dos envolvidos e em caso de tentativa de confronto com as equipes policiais, estas utilizarão o uso da força na mesma medida. Além disso, diversos armamentos foram apreendidos com os criminosos.

Segundo a polícia, a população pode colaborar com o trabalho a partir de denúncias, desde que verídicas, pelo Disque Denúncia 181 (anonimo) ou pelo telefone de emergência 190.

REUNIÃO

Na terça-feira (3) ocorreu um encontro entre os integrantes de forças de segurança na sede do 16º BPM, com o objetivo de fortalecer as ações de combate ao crime organizado na área do 16º BPM. Conforme a PM, a reunião também possibilitou a troca de informações entre as instituições.  Estiveram presentes o comandante do Batalhão, Major Flávio Vicente Ferraz, juntamente com integrantes da Polícia Civil, o Centro de Operações Policiais Especiais (COPE) da Polícia Civil e a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

***Com informações da PM