Polícia Civil fecha laboratório de drogas na Região Metropolitana de Curitiba

Ação aconteceu em Fazenda Rio Grande e um homem de 23 anos foi preso em flagrante. No local, além de cocaína e maconha, o polícia encontrou ferramentas utilizadas na fabricação de drogas

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) fechou um laboratório de fabricação de drogas em Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana de Curitiba. Durante a ação, realizada nesta quinta-feira (29), um homem, de 23 anos, foi preso em flagrante.   

A PCPR chegou até o local após investigações de alta complexidade. Na fábrica de entorpecentes foram localizados três quilos de cocaína, dois quilos de maconha e ferramentas utilizadas na fabricação, como prensa hidráulica, aparelhos de secagem e batedores para misturar as drogas.  

As investigações prosseguem com o intuito de identificar outros integrantes da organização criminosa.

APREENSÕES

As apreensões de drogas aumentaram quase 150% no primeiro trimestre de 2021, em relação ao mesmo período do ano passado. As forças de segurança pública do Paraná localizaram, de janeiro a março deste ano, 61,7 toneladas de drogas, enquanto que no mesmo período do ano passado foram 24,9 toneladas.

Os números são resultado das ações preventivas da Polícia Militar e também de repressão qualificada da Polícia Civil.

De acordo com dados de relatório da Secretaria de Estado da Segurança Pública, as polícias Militar e Civil apreenderam 60.675 quilos de maconha, um aumento de 162,7% em relação ao primeiro trimestre de 2020 (23.095 quilos).

O volume de cocaína somou 782,3 quilos, 444,4 quilos a menos que no comparativo com o primeiro trimestre de 2020, que teve pouco mais de 1,2 mil quilos apreendidos, uma queda de 36,23%.

O mês de 2021 que teve a maior quantidade de drogas apreendidas no período, somando maconha, cocaína e crack, foi janeiro, com 26,7 toneladas. Enquanto março foi o mês que teve o menor volume: 16.326 quilos, o que representa 10.446 quilos a menos que o primeiro mês de 2020.

O subcomandante da Polícia Militar do Paraná, coronel Rui Noé Barroso Torres, falou sobre as principais missões que ajudaram no combate ao tráfico de droga no Estado.

“Dentro das operações executadas no trimestre, duas foram pontuais para o combate ao tráfico de drogas, a Operação Pronta Resposta e a Operação Tático Móvel. Elas são um suplemento ao reforço do policiamento nas ruas, não só em Curitiba e Região Metropolitana de Curitiba, mas também a nível de estado”, afirmou.

Na Polícia Civil os destaques são as operações de repressão qualificada, caracterizadas por ações cirúrgicas, que têm como foco principal a desestruturação e desarticulação de organizações criminosas atuantes no Estado.

O delegado-geral da Polícia Civil, Silvio Jacob Rockembach, lembrou que houve aumento nas apreensões nos últimos dois anos e aponta que a tecnologia foi um dos fatores para este desempenho.

“Esse investimento, essa agilidade e o uso da tecnologia, aliado à capacitação do policial, principalmente, no que se refere à aplicação de técnicas estruturadas na análise de inteligência tem dado resultado”, destacou.

DROGAS SINTÉTICAS

Segundo os dados do relatório, o recolhimento de LSD subiu 172,4% no primeiro trimestre de 2021 – de 2.363 pontos em 2020 para 6.437 pontos neste ano. O mês de janeiro foi o que registrou a maior quantidade de LSD apreendida, com 3.425 pontos. Já o número de apreensões de ecstasy caiu de 14,1 mil para 8.123 comprimidos em 2020, queda de 42%.