Morre Ricieri Chagas, policial militar ferido no assalto em Guarapuava

Ricieri estava na viatura que foi atacada pelos criminosos no domingo (17)

Morreu neste sábado (23) o Cabo Ricieri Chagas, ferido durante o ataque a Guarapuava no domingo (17).

O policial militar estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) há sete dias e havia apresentado uma melhora nesta sexta-feira (22), conforme informação do 16°Batalhão de Polícia Militar (BPM). No entanto, a situação do Cabo era de extrema gravidade.

Ricieri Chagas era natural de Campo Mourão, nasceu em 29 de outubro de 1973 e ingressou nas fileiras da Corporação em 26 de Julho de 1995, tendo atualmente 29 anos, três meses e cinco dias de serviços prestados. Ele deixa a esposa e um casal de filhos.

Atuou no 16º BPM e no Batalhão de Polícia de Fronteira. No 16º atuou nos extintos GOE (Grupo de Operações Especiais) e TMA (Tático Móvel Auto), além da ROTAM e Pelotão de Trânsito. Por cerca de 15 anos vestiu a camisa do Pelotão de Choque do 16° BPM.

Em nota a PM destaca que ele “teve uma carreira exemplar e extremamente operacional. É conhecido por todo o país, por ter brilhantemente representado a PMPR na Força Nacional. Ostentava com honra o brevê do CCDC (Curso de Controle de Distúrbios Civis) em seu peito. Conhecido por sua célebre frase “Vamos pegar os caras!”. Sua marca registrada sempre foi o amor a profissão. Sempre foi o paizão dos policiais do Choque, aconselhando os demais policiais. Seu legado para sempre será lembrado”.

Ainda não há informações sobre o local do velório.

O ATAQUE

Ricieiri estava em uma viatura da Choque junto com o Cabo Bonato e Cabo Wendler, quando foram surpreendidos pela quadrilha. Os policiais saíam para fazer uma ronda quando tiveram o veículo metralhado pelos criminosos.

Bonato foi atingido na perna, passou por cirurgia e se recupera em casa. Wendler foi salvo pelo colete a prova de balas e por um aparelho celular. Já Ricieri foi baleado na cabeça e devido a gravidade não resistiu.