Guarapuava se despede do cabo Ricieri Chagas

Velado na sede do 16º BPM, seu corpo saiu em cortejo fúnebre por volta de 10h30 de segunda pela rua XV de Novembro. Ele foi sepultado no cemitério do distrito da Palmeirinha, na “terra do lobo bravo”. Dezenas de viaturas das forças de segurança acompanharam o caminho, ao som de sirenes e homenagens

Com salva de palmas, tristeza e respeito, a comunidade de Guarapuava se despediu na manhã desta segunda-feira (25) do cabo Ricieri Chagas, integrante do 16º Batalhão de Polícia Militar (16º BPM) e que se tornou vítima fatal de uma ação orquestrada por quadrilha de criminosos entre a noite do Domingo de Páscoa (17) e a madrugada de segunda-feira (18).

Velado na sede do 16º BPM, seu corpo saiu em cortejo fúnebre por volta de 10h30 de hoje pela rua XV de Novembro. Ele foi sepultado no cemitério do distrito da Palmeirinha, na “terra do lobo bravo”.

Dezenas de viaturas das forças de segurança (PM, Deppen, Bombeiros, PRF etc.) acompanharam o caminho, ao som de sirenes e homenagens. No decorrer do féretro, veículos de civis paravam em homenagem ao policial.

Em respeito à família, a imprensa não acompanhou o interior do Batalhão, onde estava sendo feito o velório.

Cabo Ricieri Chagas (Foto: Redes Sociais)

Natural de Campo Mourão, Ricieri Chagas nasceu em 29 de outubro de 1973. Ele ingressou nas fileiras da Corporação em 26 de julho de 1995, “tendo atualmente 29 anos, 3 meses e 05 dias de excelente serviços prestados!”, disse o 16º BPM, em material encaminhado à imprensa. O cabo deixou esposa e um casal de filhos.

O policial atuou no 16º BPM e no Batalhão de Polícia de Fronteira. No 16º, integrou os extintos GOE (Grupo de Operações Especiais) e TMA (Tático Móvel Auto), além da Rotam e Pelotão de Trânsito. Por cerca de 15 anos, vestiu a camisa do Pelotão de Choque do 16° BPM.

“Teve uma carreira exemplar e extremamente operacional. É conhecido por todo o país, por ter brilhantemente representado a PMPR na Força Nacional. Ostentava com honra o brevê do CCDC (Curso de Controle de Distúrbios Civis) em seu peito”, diz o 16º BPM, que destaca uma célebre frase dita por Ricieri: “Vamos pegar os caras!”. Sua marca registrada sempre foi o amor a profissão.

Segundo a PM, honrou com todas as suas forças o seu juramento: “Devotar-me inteiramente ao serviço do Estado e da minha Pátria cuja honra, integridade e instituições defenderei com o sacrifício da própria vida”. “E quando caminhar em direção a Vós, terei a certeza de que serei um Homem de Choque, nesta e em outras vidas, pela paz e pela ordem, CHOQUEEEEE!”.

Momento em que o caixão foi posto em cima do caminhão dos Bombeiros (Foto: Redação/Correio)