Duas mulheres são detidas por posse de drogas e desacato policial, em Guarapuava

A condutora do I/Volvo S60 não possui Carteira Nacional de Habilitação (CNH)

Nesta quarta-feira (22), duas mulheres (28 e 20 anos) foram detidas por posse de maconha e desacato policial. 

De acordo com o relato policial, foi dada voz de abordagem para a condutora de um I/Volvo S60 que não estava utilizando cinto de segurança. 

A Polícia Militar (PM) fez buscas dentro do carro e encontrou maconha no console do veículo, sem especificar a quantidade. Questionadas sobre quem seria a proprietária da droga, a passageira (20 anos) assumiu que era dela. 

Em seguida, foi solicitada a presença de uma policial feminina para realizar uma busca pessoal nas abordadas, momento que, segundo a PM, a condutora passou a tumultuar a ocorrência não respeitando as ordens da equipe para permanecer atrás do veículo.

Além disso, a mulher disse que os policiais não sabiam com quem estavam falando, que seria uma pessoa influente na cidade e que conhecia várias pessoas dentro do 16º Batalhão de Polícia Militar (BPM).

A partir da chegada da policial feminina, foi solicitado para que ambas as abordadas colocassem a mão na cabeça para que fosse realizada uma revista pessoal. Neste momento, de acordo com a PM, apenas a passageira acatou a ordem policial.

Posteriormente, ainda segundo o relato policial, a mulher mais velha tinha um objeto na mão e não obedecia às ordens. Na sequência, ela arremessou o objeto que estava nas mãos e a equipe policial verificou que se tratava da chave do veículo.

Após revista pessoal, nada de ilícito foi encontrado. Contudo, após buscas no sistema, foi constatado que a condutora não possui Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e que o veículo estava com o pneu estepe inoperante.

Diante da situação, foram confeccionados os autos de infração pertinentes e o veículo foi recolhido por medida administrativa até ao pátio do 16º BPM.

Posteriormente, foi dada voz de prisão para a jovem pela posse de entorpecente e, para a mulher que dirigia o veículo, foi dada voz de prisão por resistência de desobediência. As mulheres foram encaminhadas ao batalhão para a lavratura do Termo Circunstanciado.