Guarapuavano de 11 anos conquista medalha de ouro em competição interestadual de Judô

Segundo a família, a dedicação do jovem atleta vem desde os seis anos, quando começou no esporte e nunca mais parou

Henrique Nascimento Lemos (11 anos), judoca. O jovem atleta começou no esporte com apenas seis anos, após os pais decidirem que seus filhos precisavam começar a fazer atividades físicas regularmente. 

Segundo a mãe, Alessandra dos Santos Nascimento Lemos, eles procuraram um esporte que unisse a atividade física, a disciplina e o comprometimento. E foi então que o judô surgiu. Henrique e o irmão, Emanuel (8 anos), começaram as aulas, as trocas de faixa e enfim os campeonatos. 

“Nós queríamos colocar ele em um esporte. E eu fui pesquisar e vi que o judô tinha muita disciplina, por que eles tem que ter uma idade, uma maturidade, um bom desempenho na escola, precisam ser éticos e isso nos motivou muito a colocar ele no judô, por que era isso que a gente queria. Não um esporte só por ser esporte, mas que tivesse uma história e um comprometimento com ele e com a escola ao mesmo tempo”, reforçou a mãe. 

Recentemente o garoto conquistou a medalha de ouro em sua categoria na Copa Paraná, campeonato mais importante do estado. Na sequência foi escalado para representar no Meeting Interestadual Interclubes 2021, onde competiu com atletas do Paraná, Santa Catarina, São Paulo e Rio Grande do Sul, ficando também na posição mais alta do pódio. 

HISTÓRIA

O judô é uma arte marcial transformada em esporte que foi criada a partir do jiu-jitsu em 1882 e tem como objetivo principal a defesa pessoal, mas também busca fortalecer o corpo e a mente. 

Os atletas precisam estar sempre com a vestimenta adequada para a prática da atividade, o judogi. E as faixas que vão fechar a parte de cima da roupa mudam a cada evolução de aprendizagem. Os iniciantes começam com a faixa branca, passando para azul, amarela, laranja, verde, roxa e marrom. A última evolução é para a faixa preta, e apenas os mestres a utilizam. Assim como as faixas listradas de vermelho e branco e a vermelha.

A luta em si acontece sempre em uma plataforma intitulada tatame e o objetivo é alcançar um ponto através de dois golpes: o primeiro é derrubar seu adversário, obrigando-o a colocar os ombros no chão e imobilizá-lo por trinta segundos; e o segundo é uma chave-de-braço. 

Reprodução/Arquivo Pessoal

Para o jovem Henrique, o judô é muito mais do que a definição acima. É também uma forma de enxergar a evolução em um objetivo que traçou anos atrás. Aos seis anos, ele começou como faixa branca, hoje, como faixa laranja, almeja chegar à faixa preta aos 16 anos, idade mínima permitida para adquirir a faixa mais alta. 

CAMPEONATOS 

Mesmo sem o apoio de patrocinadores, a família incentiva e leva seus dois pequenos atletas para todos os campeonatos que são escalados ou inscritos. “É muito gratificante, porque além da gente poder valorizar o esporte em si, a gente também valoriza a disciplina e o comprometimento deles”, disse a mãe, Alessandra. 

A última e mais importante competição disputada por Henrique foi o Meeting Interestadual Interclubes 2021, realizado de 12 a 14 de novembro em São José, Santa Catarina. Na idade em que o garoto se encontra, a categoria Sub-13 foi a mais alta que ele poderia chegar. Seu próximo foco é o Campeonato Brasileiro, em que ele estará competindo pela categoria Sub-13 nacional. “Os paulistas são os mais difíceis, eu fiquei muito nervoso antes de começar as competições, mas na hora tudo passa e eu consegui passar por eles”, disse o jovem.

Para seguir nas competições e continuar defendendo o esporte, Henrique aguarda ansioso pelo seu 12º aniversário, idade em que finalmente poderá concorrer a uma bolsa atleta e ir em busca de apoio municipal ou estadual. A esperança dos pais é que não somente a bolsa atleta os ajuda a permanecer realizando os sonhos do filho, mas também patrocínios particulares.