‘É uma sensação de dever cumprido’, diz técnico do União Beltrão

Com Rafael Andrade novamente no comando técnico, equipe de Francisco Beltrão (da região Sudoeste) conquistou mais um acesso à elite do futebol paranaense. Para coroar a campanha de 2021, treinador quer o título da 2ª Divisão no mata-mata contra o Sãojoseense; primeira partida é nesta quarta-feira (6), no Anilado

Novamente, o Clube Esportivo União está de volta à 1ª Divisão do Paranaense. E sob o comando técnico de Rafael Andrade, pela segunda vez em três anos.

A primeira subida foi em 2019, quando Andrade levou a equipe de Francisco Beltrão à final contra o PSTC. No ano seguinte, para tristeza dos torcedores beltronenses, o União sofreu o descenso, junto com esse mesmo adversário da decisão de 2019.

No entanto, em 2021 o professor mineiro radicado no Paraná voltou à região Sudoeste e comandou o Azulão em um novo acesso à elite do futebol paranaense.

“É uma sensação de dever cumprido. Eu tenho muito carinho com o Clube Esportivo União. Principalmente com a cidade de Francisco Beltrão, onde o torcedor sempre me acolheu com muito carinho, muito respeito”, diz Andrade, em entrevista ao CORREIO.

Conquistada a vaga na 1ª Divisão, agora o União decide o título da 2ª Divisão (ou Divisão de Acesso) em duas partidas contra o Sãojoseense, equipe de São José dos Pinhais que também estará na elite em 2022. O jogo de ida é nesta quarta-feira (6 outubro), às 15h30, no Estádio Mun. Anilado, em Beltrão. E a volta em S.J. dos Pinhais, no Estádio Mun. Cilmar Pedro Goergen, sábado (9 outubro), às 15h30.

Segundo Andrade, a previsão é de uma decisão marcada pelo equilíbrio, pois são as duas melhores equipes da competição. “Visto que, praticamente, temos campanhas idênticas”.

Ele diz ainda que o time de Beltrão encara com muita seriedade essa final. “Visto que são 42 anos que o União não conquista o título da Divisão de Acesso”, lamentando que, em 2019, não conseguiu o caneco quando esteve à frente dessa agremiação. Portanto, o treinador quer coroar a campanha de 2021 com o troféu de campeão. “Para que a gente possa realmente cravar o nome na história do clube”.

Conforme o site do União, o clube conquistou os títulos da 2ª Divisão em 1979 e da 3ª Divisão em 2016. E também já foi vice-campeão duas vezes da 2ª Divisão (2017 e 2019).

Assim como em 2019, Rafael Andrade conquistou mais um acesso para o União Beltrão (Foto: União)

DESFALQUE
Rafael Andrade informa que o único desfalque do União Beltrão será o experiente Marcelo Régis, que saiu lesionado no confronto contra o Apucarana Sports, no segundo jogo da semifinal, sábado passado (2 outubro).

“O espírito é jogar para vencer, já está no DNA dessa equipe”, diz o técnico. “Esperamos um confronto dificílimo. Mas acredito que se a gente conseguir introduzir a intensidade e a obediência tática que tivemos na última partida, nós podemos surpreender a equipe do São José e levar o título”.

SISTEMA
Segundo o regulamento da competição, será considerado campeão o clube que somar o maior número de pontos ao final da segunda partida, considerados os resultados exclusivamente obtidos nesta fase.

Mas, caso haja, ao término do segundo jogo, igualdade de pontos ganhos, será considerado como primeiro critério de desempate o saldo de gols e, persistindo o empate, serão cobrados pênaltis, até conhecer o clube vencedor.

Inclusive, o professor Andrade avalia que a decisão é um “jogo de 180 minutos”, com a primeira parte no Anilado e a segunda em São José dos Pinhais.

Acesso do União Beltrão saiu em partida contra o Apucarana Sports, quando se classificou para a final (Foto: União)

FUTURO
Com foco exclusivo na final da 2ª Divisão, Rafael Andrade diz que ainda não conversou com a diretoria do União sobre a continuidade de seu trabalho para 2022, quando a equipe de Beltrão disputará a 1ª Divisão. “Estamos sendo bem tranquilos, aguardando o momento certo para conversar sobre esse assunto”, finaliza o professor.