Com passagem pelo Grêmio-RS, experiente ‘olheiro’ garimpa talentos no Guarapuava FC

Com quase 70 anos de idade, o gaúcho Joares Miguel Soares, o Joares Manco, é incansável no garimpo de talentos do futebol brasileiro. Desde fevereiro, ele está em Guarapuava, a convite de Paulo Vogt, ex-jogador de sucesso e hoje à frente do novo clube profissional da cidade, Guarapuava Futebol Clube

Os meninos correm atrás da bola. Aos olhos comuns, é só mais um lance. No entanto, para Joares Manco, o talento pode pintar numa simples jogada. Seus olhos técnicos avaliam cada movimento em busca de qualidade.

Com quase 70 anos de idade, o gaúcho Joares Miguel Soares, o Joares Manco, é incansável no garimpo de talentos do futebol brasileiro. Desde fevereiro deste ano, ele está em Guarapuava, a convite de Paulo Vogt, o Paulinho Tripa, ex-jogador (com histórico de conquistas) e hoje à frente do novo clube profissional da cidade, Guarapuava Futebol Clube (fundado em 2020).

Desde que um acidente de carro o obrigou a abandonar os gramados, aos 27 anos de idade, Joares Manco, como é mais conhecido, tem se dedicado à captação de talentos no mundo da bola. Antigamente, profissionais assim eram chamados de “olheiros”, justamente por causa do olhar aguçado e faro calibrado para identificar joias brutas.

Por exemplo, entre 1992 e 2000, Manco fez isso no Grêmio Football Porto Alegrense, o todo-poderoso Grêmio, campeão da Libertadores e Mundial. Por suas retinas, passaram jogadores como Ronaldinho, Emerson, Arilson, Tinga. Inclusive, trabalhou com o técnico multicampeão Luiz Felipe Scolari, o Felipão.

O captador conheceu, mas não o revelou, Ronaldo Fenômeno quando este tinha apenas de 16 para 17 anos.

Com quase 70 anos de idade, Joares não se cansa de garimpar talentos no futebol brasileiro (Foto: Douglas Kuspiosz/Correio)

Mais recentemente, Manco descobriu Darlan, que está no Imortal Tricolor. “Busquei e entreguei ao Grêmio, sem ganhar um centavo. Não quero nada. Nunca ganhei nada de jogador nenhum”, diz, em entrevista exclusiva ao CORREIO, durante seu trabalho diário no Centro de Treinamento guarapuavano, “um dos maiores do Brasil” em suas palavras.

O olheiro também identificou Luan Patrick, zagueiro da Seleção Brasileira e do Athletico Paranaense. “Vai ser um dos grandes zagueiros. Com certeza, vai substituir os zagueiros que estão jogando na Seleção Brasileira”.

Segundo Manco, é preciso paciência com os meninos e saber a hora de dar duras. “Se não sair jogadores, tem de sair um grande homem”, analisa, dizendo o que um olheiro busca: “Primeiro, tem de ter talento. Aí, tu vai ver dentro do campo”.

Diz ainda que mesmo um menino de 12, 13 anos pode ter qualidades. “Enxerga que ele bate bem na bola, que sabe obedecer aos esquemas táticos”.

GUARAPUAVA
O convite para trabalhar em Guarapuava partiu do presidente do novo clube, quando estava em Belo Horizonte, na Toca da Raposa do Cruzeiro. Naquele dia, Paulinho viu e conversou com Joares Manco. “Ele me ligou no começo do ano e deu certo de fazer uma visita. A gente conseguiu segurá-lo para nosso elenco e projeto”, conta Vogt.

Feliz com a nova cidade, Manco adianta que tem planos de trazer a esposa Heloisa Soares. O olheiro também destaca que Vogt trouxe ao terceiro planalto paranaense a filosofia de trabalho aprendida na Europa, quando Paulinho Tripa era jogador.

REVELAÇÃO

Um menino revelado no Guarapuava FC tem viagem agendada para a capital paulista. O jovem será avaliado no São Paulo Futebol Clube, em Cotia. “Há 29 anos, levei um menino de Cruz Alta nesses mesmos termos”, recorda Manco, informando que o tal garoto do passado era nada menos do que Catê, jogador campeão mundial sob o comando de Telê Santana no Tricolor dos anos de 1990.

Fundado em 2020, Guarapuava FC quer disputar 3ª Divisão e categorias de base neste ano (Foto: Douglas Kuspiosz/Correio)

“Eu tive o prazer de conversar, de conviver com o Telê, Muricy Ramalho”, diz Joares, lamentando que o São Paulo não seja mais hoje um “fabricador de jogadores”, como foi no passado.

Em relação à região de Guarapuava, o experiente olheiro afirma que existem muitos talentos por aqui. Não por sinal, tem recebido convites de clubes como o português Portimonense, além do Brasil e da Espanha, para encaminhar atletas. O Guarapuava FC será um clube revelador e em busca de títulos, na sua avaliação.

O trabalho de Manco também é de trazer jogadores para o clube guarapuavano. Mas, por conta da pandemia, ele não pode neste momento viajar para captar meninos.