Período da Quaresma deixa comerciantes otimistas com venda de peixes

O CORREIO conversou com responsáveis por peixarias e um supermercado para saber as expectativas do setor para esta época em que o consumo de peixes aumenta

A Quaresma, período que antecede a Páscoa e que marca o jejum dos católicos nas quartas e sextas-feiras, é também uma época de crescimento nas vendas de peixes. Todo ano, os comerciantes do ramo e os supermercados se preparam devido ao aumento no consumo.

Em Guarapuava, alguns estabelecimentos se preparam muito antes para garantir os produtos e a fidelidade do consumidor. Este é o caso da peixaria do comerciante Emanoel Bastos, que existe há mais de 20 anos. Em entrevista ao CORREIO, ele destaca a preparação para esta época. “A gente se prepara desde dezembro em reposição de estoque, questão de estar preparando o produto para comercializar numa grande quantidade, para não estar faltando nada nessa época de quaresma”, conta.

Ele espera um aumento de 20% a 30% em relação ao que foi comercializado na Quaresma passada. Esse incremento, segundo ele, pode vir pela flexibilização do atendimento, que foi prejudicado em anos anteriores pela pandemia. “Podendo trabalhar e atender o público, sai. A gente pretende vender mais do que no ano passado pelas circunstâncias de várias coisas. Agora já está mais flexível para poder trabalhar”.

Nos supermercados, o cenário de otimismo é parecido, apesar das diferenças em relação às peixarias que trabalham exclusivamente com os peixes. Para o gerente de um supermercado do bairro Santa Cruz, Patrik Santos, as vendas devem superar as de 2021. “A expectativa é sempre das melhores. É um setor com forte crescimento nesse período, e mesmo com a pandemia tivemos um crescimento de 40% no setor e este ano esperamos ultrapassar essa marca”, afirma.

PEIXES
Também atuando no ramo de peixes há bastante tempo, André Kuczer Filho administra a peixaria junto com o pai no bairro Trianon. Para ele, todo ano a expectativa é de superar as vendas do ano anterior, mas não traça uma porcentagem. Conhecedor dos gostos dos clientes, ele aponta o que mais sai neste período de Quaresma. “Os peixes mais procurados são a posta de cação, filé de merluza, filé de salmão e o bacalhau mais próximo da Páscoa. Mas o peixe mais consumido é o filé de tilápia, por ser fácil o seu preparo e não ter muitas espinhas”, explica.

Emanoel também garante que a tilápia e o salmão estão entre os peixes mais procurados, e inclui também os camarões.

O gerente Patrick lembra que o Paraná é líder na produção de tilápias ao afirmar que este é o mais procurado. “Houve crescimento também em sardinhas, cação, cascudo e polaca”, explica em relação a outras opções.

PREÇOS
Com a elevação nos preços de diversos produtos, o peixe não ficou para trás, no entanto, de acordo com André Kuczer Filho, no caso da tilápia não foi muito em comparação com o valor praticado no ano passado. Apesar disso, ele comenta que pescados importados, como filé de salmão, tiveram uma alta.

Emanoel garante que apesar deste aumento, ainda está dentro do possível para que o consumidor possa comprar. Ele coloca a inflação como razão pela mudança nos valores. Para Patrick, o mercado de peixes deve ter uma estabilidade este ano e para alavancar ainda mais as vendas, o supermercado vai apostar em ações no setor, como ofertas.