Em quatro meses, Agência do Trabalhador da Cultura fez mais de 2,3 mil atendimentos

A primeira e única Agência do Trabalhador da Cultura (ATC) do País é fruto de uma cooperação técnica entre a Secretaria de Justiça, Família e Trabalho (Sejuf) e a Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura (SECC)

A primeira e única Agência do Trabalhador da Cultura (ATC) do País, fruto de uma cooperação técnica entre a Secretaria de Justiça, Família e Trabalho (Sejuf) e a Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura (SECC), já atendeu mais de 2.300 trabalhadores/trabalhadoras e empreendedores do mercado criativo entre janeiro e abril de 2022.

A agência também foi responsável por efetivar 275 postos de trabalho, que é o “match” definitivo entre empregador e empregado. A taxa de efetividade da ATC para empresas e produtoras que utilizam a agência para captar vagas é bastante alta: 95% de sucesso. Ou seja, praticamente todas as vagas que são encaminhadas para a agência por parte de empregadores são preenchidas por candidatos da base. Os resultados constam no primeiro balanço da ATC. Os demais atendidos ficam na base de contatos para novas oportunidades.

A superintendente-geral da Cultura, Luciana Casagrande Pereira, frisa a relevância adquirida pela ATC para o mercado criativo, em poucos meses de atuação. “É um orgulho comemorar esse primeiro Dia do Trabalho com a Agência do Trabalhador da Cultura fomentando de forma tão intensa a economia criativa. Isso só nos dá mais energia para continuarmos com foco na oferta de vagas, formação e atualização dos trabalhadores e trabalhadoras da cultura do Estado”, afirma.

Para o secretário de Estado da Comunicação e da Cultura, João Evaristo Debiasi, a ATC é uma política permanente para o futuro do Paraná. “O resultado é imensurável porque é um espaço aberto aos profissionais da área. Foi aberta em um período difícil da pandemia, mas já mostra grande poder de articulação”, exalta.

A ATC funciona em anexo à Sala do Artista Popular, na Superintendência-Geral da Cultura. Ela promove o encontro entre quem está disponível para trabalhar com empresas que precisam montar equipes e elencos para contratos ou projetos específicos. Além disso, a intenção é produzir dados e indicadores visando o fortalecimento das políticas públicas de cultura no Estado.

A Agência do Trabalhador da Cultura é vinculada à rede de Agências do Trabalhador da Sejuf e serve como um posto para o atendimento e cadastramento de trabalhadores e trabalhadoras autônomos e microempreendedores individuais (MEIs) das variadas atividades culturais.

“A Agência do Trabalhador da Cultura vem fortalecer o trabalho intenso que fazemos na Agência do Trabalhador. Pelos números expressivos já produzidos por este Posto Avançado temos certeza de que nos tornaremos modelo para todo o Brasil”, acrescenta Rafael Santos, gerente da Agência do Trabalhador de Curitiba.

IMPACTO IMEDIATO
Nesses quatro meses, a ATC já participou de 11 eventos de grande porte, dentre eles mutirões de emprego, em conjunto com a Agência do Trabalhador de Curitiba, e eventos para classe empresarial e da indústria criativa.

O posto avançado da Cultura foi responsável pela intermediação de mão de obra de 90% dos cenotécnicos que trabalharam nos eventos do Festival de Teatro de Curitiba (FTC). Só o FTC, cuja edição entre março e abril marcou o retorno das atividades culturais pós-pandemia, foi responsável pela geração de quatro mil empregos diretos e indiretos e 900 artistas.

Cofundador e um dos diretores do festival, Leandro Knopholz afirma que o olhar pelo viés econômico da atividade cultural é uma percepção atual, devido ao impacto expressivo que o setor tem na geração de emprego, na formação e na renda.

“O espetáculo com uma pessoa no palco envolve seis, sete outras fora dele. É uma mão de obra absolutamente necessária, que precisa ter uma capacitação para entregar qualidade e formação humana para entender o que está acontecendo. Para nós foi muito positivo a aproximação com a Agência do Trabalhador da Cultura para poder ter acesso a um banco de pessoas necessárias para a nossa atividade. A existência de uma agência dessas é fundamental para a continuidade da atividade cultural”, destaca.

A parceria com o FTC continua e a ATC seguirá facilitando este processo em todas as praças do Estado, a exemplo de Maringá e Londrina, que receberão ainda este mês agenda de eventos do Festival.

O Instituto Curitiba de Arte e Cultura (ICAC), organização ligada à Fundação Cultural de Curitiba, é outro parceiro da ATC. O diretor-executivo da organização, Marino Galvão Jr., avalia como pertinente a criação de uma agência especializada nas oportunidades de trabalho do setor cultural. Das três últimas contratações realizadas pelo instituto, duas tiveram como origem a ATC.

“As dezenas de entrevistas realizadas, além de abrir oportunidades de trabalho temporário em eventos realizados pelo instituto, auxiliam na manutenção de um banco de currículos. Para nós a impessoalidade na dinâmica de contratação é uma exigência e a agência proporciona isso”, explica.

Foto: Maringas Maciel/Teatro Guaíra

NOVOS POSTOS
Segundo levantamento feito pela Agência do Trabalhador da Cultura, mais de cinco mil novos postos de trabalho de economia criativa serão criados em Curitiba e Região Metropolitana nos próximos meses. A ATC está fomentando ativamente parcerias com agentes culturais e empresários dessa indústria com a finalidade de aproximar seus serviços, em especial de intermediação de mão de obra, para aumentar expressivamente a oferta de trabalho para a base de trabalhadores cadastrados.

Segundo o gestor da Agência do Trabalhador da Cultura, Raphael Dotto, a ATC conta com uma base robusta de profissionais de diversas áreas, sempre em crescimento. “Agora, nossos esforços estão na direção de aproximar os serviços da agência aos empresários, produtores locais e nacionais e agentes culturais. Desenvolvemos uma capacidade operacional capaz de suprir a demanda de mão de obra de grandes produções. Hoje um produtor ou empresário pode nos trazer toda demanda de RH de seu projeto e a ATC aproxima trabalhadores com os respectivos perfis e habilidades exigidos”, complementa.

A ATC possui uma base com mais de mil profissionais cadastrados que vão desde profissionais de montagem, operacional, artístico e até estratégicos. Com a busca ativa junto às empresas e o atendimento diário aos trabalhadores da cultura essa base só cresce.

Ainda no mês do trabalhador, a ATC, em parceria com a Sejuf e outras instituições, fará anúncio de diversas ações voltadas aos trabalhadores. Estão previstas participações em mutirões de emprego, cursos de formação, qualificação e profissionalização em diversas áreas, assinaturas de convênios para beneficiar agentes culturais com microcrédito e o início da expansão para outras regiões do Estado.

REPRESENTATIVIDADE
O relatório quadrimestral da ATC apontou que mulheres representam a maioria na base da agência, sendo 54,5% dos atendimentos feitos para pessoas que se declaram do sexo feminino e 45,5% para pessoas que se declaram do sexo masculino. Pessoas entre 18 e 24 anos representam 15,6% dos atendimentos; entre 25 a 30 anos, 16,8 %; entre 31 a 40 anos, 15,7%; entre 41 a 60 anos, 16,7%; e maiores de 60 anos, 3%.

Pessoas com nível superior de ensino completo foram as que mais procuraram a ATC: 32,8%. Esse grupo é formado por pessoas que estão fazendo faculdade (22,9%), que têm ensino médio (21,3%); especialistas (11,1%), nível técnico (5,6%) e ensino fundamental (3%).

Foto: Maringas Maciel/Teatro Guaíra

SERVIÇO
Agência do Trabalhador da Cultura

Para o trabalhador se cadastrar e automaticamente participar de processos seletivos, basta enviar o currículo para qualquer um dos canais de atendimento:

– Atendimento presencial – Rua Saldanha Marinho, 240, Centro, Curitiba (Anexo à Sala do Artista Popular)

– Atendimento on-line: telefone/Whatsapp: (41) 3321-4743 ou e-mail [email protected]

Empresas e produtoras que tenham vagas disponíveis no setor criativo podem mandar e-mail para [email protected]

Horário de atendimento: segunda a sexta-feira, das 9h às 17h