Ecossistema de inovação de Guarapuava é semifinalista do Prêmio Nacional de Inovação

Guarapuava disputa o prêmio com outros 15 municípios. Estão sendo avaliados nessa categoria os ecossistemas relacionados à inovação, englobando diversos projetos de cunho inovador realizados na região por universidades, incubadoras e políticas públicas

Idealizado pela Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), em conjunto com a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), o Prêmio Nacional de Inovação (PNI), selecionou Guarapuava como semifinalista na modalidade “Ecossistema de Inovação em Desenvolvimento”.

Guarapuava disputa o prêmio com outros 15 municípios. Estão sendo avaliados nessa categoria os ecossistemas relacionados à inovação, englobando diversos projetos de cunho inovador realizados na região por universidades, incubadoras e políticas públicas.

“Essa premiação significa muito para nós e essa classificação já é importante, porque demonstra o trabalho que vem sendo feito e nos incentiva a continuar trabalhando em prol desses resultados”, expõe Cláudia Crisóstimo, vice-presidente do Fórum de Ciências Tecnologia e Inovação.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação e também presidente do Fórum de Ciência, Tecnologia e inovação de Guarapuava ( Fórum CT&I), Sávio Denardi, a inscrição partiu diretamente do Fórum CT&I e a colocação é um reflexo do trabalho conjunto dos inovadores de Guarapuava. “Estamos colhendo bons frutos dos diversos projetos feitos em Guarapuava. O poder público está fazendo sua parte e garantindo um ambiente favorável ao desenvolvimento do nosso Ecossistema de Inovação”, conta.

Agora, Guarapuava deve aguardar o próximo passo da avaliação, a 2° banca de juízes, que acontece no dia 16 ou 17 de fevereiro. Caso o município vença, a premiação acontece no dia 8 de março.

“O prêmio não é da prefeitura ou de outra instituição, é do Ecossistema de Guarapuava, da nossa cidade! São muitas mãos trabalhando por anos para chegarmos nesse amadurecimento e precisamos celebrar essa conquista. É algo incrível”, conta Ana Cláudia Klosouski Andrade, coordenadora do Programa Emprime.