Kaio Miotti é uma das atrações do projeto ‘Toca uma pra mim’

A apresentação de Miotti, que é formado em Jornalismo pela Unicentro de Guarapuava, será no dia 21 de maio, com ingresso pago. O primeiro a se apresentar foi o cantor e compositor Marcus Farrapo, dia 7 de maio. E o projeto é da Vila Cultural Cemitério de Automóveis

O jornalista e músico Kaio Miotti será uma das atrações do projeto londrinense “Toca uma pra mim” de lives na internet. Miotti é formado pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) de Guarapuava, com contribuições para a cena cultural do terceiro planalto paranaense.

A apresentação de Miotti será no dia 21 de maio, com ingresso pago. O primeiro a se apresentar foi o cantor e compositor Marcus Farrapo, dia 7 de maio. O projeto é da Vila Cultural Cemitério de Automóveis, em parceria com Estúdio Vaca Records, Estúdio Meyer e ControVento Produções e agência de publicidade 3.

Segundo informações, o projeto consiste em produzir desde a gravação, até assessoria, divulgação e venda dos ingressos que serão revertidos para os músicos que se encontram fora dos palcos e precisando de recursos para enfrentar esses dias pandêmicos.

“Vou lançar umas inéditas”, conta Miotti, em entrevista ao CORREIO. Segundo ele, durante o show no “Toca uma pra mim” ele vai apresentar as canções gravadas numa session no Estúdio Meyer, em Londrina. “Eu, voz, violão e gaita”. Enfim, ocasião para lançamento do novo trabalho, ainda inédito. Inclusive, a capa do disco começou a ser desenvolvida por Edu Tadeu, artista plástico londrinense que mora atualmente em Umuarama (região Noroeste do Estado).

Entre os destaques da apresentação, o cantor/compositor paranaense menciona “Balada para não dormir”, uma canção nova que é sobre solidão, falta de dignidade; “So hard”, já disponível em videoclipe no YouTube; “O que os anjos vão pensar”, material da época em que Miotti se apresentou no Festival Unicentro da Canção (Fuca), em Guarapuava.

O repertório terá também “Solte o vento enquanto é tempo”. “É uma canção que finge que vai explicar e não explica nada, rs. É uma transa de linguagem”, explica, acrescentando que este single é fruto da parceria com o poeta Augusto Silva, companheiro no projeto autoral Entidade Perdida.

Músico já se apresentou no Fuca de Guarapuava (Foto: Divulgação)

CARREIRA
Além de jornalista profissional, com passagem por veículos de imprensa de Guarapuava e Irati, Kaio Miotti é músico independente há 15 anos, tendo tocado em ruas, bares, festivais, em jams com gente boa de tudo quanto é lado. Dentre os trabalhos, gravou seu primeiro disco, “Vira Lata Hoje”, com produção musical do guitarrista e compositor Fábio Brum; e fez parte do projeto Entidade Perdida, com o músico/compositor Duda Victor e o poeta Augusto Silva; e Benditos Energúmenos.

Recentemente, Miotti gravou um novo trabalho no Estúdio Meyer. Além de dividir caminhos com Chris Vianna e Carlos Fofaun Fortes, com releituras de composições antigas e novas, inteirado à linguagem audiovisual.

DISCOS
Ao longo de sua trajetória, Miotti gravou “Vira Lata Hoje” (2013), EP produzido por Fábio Brum, gravado em cinco dias alucinantes na cidade de Guarapuava, no estúdio dos irmãos Alessandro Küster e Leandro Küster. Capa e contracapa de Lauri dos Santos.

Outro é “Entidade Perdida – No meio da explosão” (2018), EP composto e produzido em Umuarama (PR) por Duda Victor, Augusto Silva e Kaio Miotti, e gravado numa tarde de domingo em Cruzeiro do Oeste (PR), estúdio JG Gimenes. Artes de Marcelo Galvan, João Oliveira e Edu Tadeu.