Ícone da capital federal, Cine Brasília reabre após quase dois anos fechado

O Cine Brasília fechou suas portas em março de 2020 devido à pandemia de covid-19. O cinema, que recebe anualmente

O Cine Brasília fechou suas portas em março de 2020 devido à pandemia de covid-19. O cinema, que recebe anualmente o Festival de Brasília, reabre nesta quinta-feira (6 janeiro), com a Mostra de Cinema Egípcio – Cine Brasília 2ª Edição. Até domingo (9), os brasilienses poderão conferir seis longas-metragens premiados e de grande repercussão no Egito.

Para Amro Saad, curador da mostra, cada filme traz uma mensagem diferente. “Os estilos variam bastante porque temos desde romance a mistério e terror. Quando temos estilos tão diferentes assim, fica difícil destacar um filme só. Mawlana, por exemplo, que é o filme de abertura, fala sobre radicalismo religioso e as consequências que um discurso pode provocar em uma sociedade”, destaca.

Segundo Saad, que é egípcio naturalizado brasileiro, o evento visa a compartilhar com o espectador brasiliense as reflexões e debates que estão sendo feitos no país africano. “É muito provável que alguns desses debates também estejam presentes no Brasil”.

O curador da mostra afirma ainda que o cinema egípcio nunca foi tão realista e aberto como nos últimos anos. “Temas que antes eram considerados tabus são exibidos com muita criatividade e sofisticação, por isso chamamos de ‘o novo cinema egípcio’. A minha proposta tem sido, desde a primeira edição da Mostra do Cinema Egípcio no Cine Brasília, apresentar ao espectador a atual sociedade do país”.

O filme “Mensagens do Mar”, do diretor Daoud Abdel Sayed, também está na mostra. De acordo com Amro Saad, a obra gerou polêmica no Egito por estar muito à frente da cultura do país à época. Ele cita ainda “O Elefante Azul”, filme campeão de bilheteria no Egito.

A entrada será 1 quilo de alimento não perecível. Para quem preferir assistir em casa, os filmes serão exibidos também na plataforma cinemaegipcio.com. Durante toda a mostra, serão observados os protocolos sanitários, como o uso obrigatório de máscaras.

Os longas serão exibidos de hoje (6) a domingo (9). Os títulos são: “Mawlana”, dia 6, às 20h; “Yomeddine”, dia 7, às 20h; “Fotocópia”, dia 8, às 17h (sessão inclusiva com audiodescrição) e às 20h30 (sem audiodescrição); “Verde Seco”, dia 8, às 19h; “Mensagens do Mar”, dia 9, às 17h e “O Elefante Azul”, dia 9, às 20h.

CINE BRASÍLIA

O secretário de Cultura do Distrito Federal em exercício, Carlos Alberto Jr, disse que há uma programação preparada para o Cine Brasília, como a exibição de filmes da capital federal que participaram do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Entre eles estão o longa-metragem Eduardo e Mônica, inspirado na música homônima da banda Legião Urbana e que foi financiado, entre outras fontes, pelo Fundo de Apoio à Cultura do DF, além de mostras de países Ibero-Americanos.

“É uma programação especial, atraindo cada vez mais a comunidade ao universo da sétima arte”, afirmou.

Alberto Jr destacou que o Cine Brasília é um dos mais importantes cinemas públicos do Brasil em atividade e uma joia do patrimônio cultural do Distrito Federal. “A reabertura e volta de suas atividades traz à população não só filmes de qualidades a preços acessíveis. Ele tem uma característica ímpar, que é a de formar públicos”, acrescentou.

Sobre o tempo parado, o secretário informou que, durante a pandemia, o Cine Brasília adquiriu novo projetor e equipamentos para ampliar a acessibilidade.