Escritor mineiro faz pontes pelo mundo e chega ao sul do país

Seus livros mais comentados são “A Queda”, “Acústico MPR: Os Piores Sucessos & Os Melhores Fracassos De Marcelo Pereira Rodrigues” e o último “Um Mergulho na Literatura Clássica”. Ele estende uma ponte com Guarapuava

Tudo na carreira do filósofo e escritor Marcelo Pereira Rodrigues foi conseguido com muito talento e esforço. Avis rara na condição de sobreviver (ou melhor escrevendo, viver bem) de literatura no Brasil, o mineiro de 47 anos já publicou 13 livros, dentre romances, novelas, crônicas e ensaios.

Nesses tempos de pandemia, com os eventos presenciais comprometidos, lembra-se das turnês literárias Brasil afora, sendo 2006 o ano em que autografou em Curitiba, Londrina, Joinville, Florianópolis e Porto Alegre. Nesta última repetiu a apresentação, em duas Feiras do Livro na Praça da Alfândega, em anos consecutivos. Cativou leitores do Nordeste, Centro-oeste, Sul e Sudeste, e ultimamente apresentou-se nas mais importantes Bienais Internacionais do Livro do Brasil: Rio de Janeiro e São Paulo, além de uma manhã de autógrafo na FLIP de Paraty.

Seus livros mais comentados são “A Queda” (romance traduzido para o espanhol e que fez enorme sucesso na Guatemala e Costa Rica); “Acústico MPR: Os Piores Sucessos & Os Melhores Fracassos De Marcelo Pereira Rodrigues” (ensaios, críticas e diários de bordo recheados de bom humor e provocação) e o último “Um Mergulho na Literatura Clássica” (lançado também na Suíça e Portugal), sendo a Terrinha o lugar conquistado, uma vez que desbravou aquele país lançando dois livros, realizando uma sessão de autógrafos em Lisboa, e pelo fato de escrever para um site cultural da cidade do Porto, O Barrete.

A qualidade dos seus textos cativa leitores de algumas partes do mundo, acrescidas de alguns contos publicados em revistas literárias da Colômbia, Venezuela, México, Argentina, Porto Rico, Costa Rica e outros.

Estendendo uma ponte com Guarapuava, comenta: “Aprendi com Milton Nascimento que o artista tem que ir aonde o povo está. Encontrei uma leitora dias destes e ela me confidenciou o prazer que a leitura de meus livros lhe proporciona. Entendi a missão do escritor: estender essas pontes, fazer contatos com outras praças, autografar e postar no correio os livros. Precisamos dos leitores, sem essa parte da equação não seria possível eu me intitular escritor, e é com alegria que eu autografo cada obra de forma íntima e direta aos leitores, mesmo que demande esforço pelo fato de, ainda bem, serem muitos”.

Sua última apresentação se deu na Bienal Internacional do Livro do Rio, em dezembro passado, e o todo da sua carreira pode ser verificada no site oficial www.marcelopereirarodrigues.com.br onde terão a possibilidade de adquirirem as obras, lerem as sinopses, críticas dos leitores e algumas mídias nacionais e internacionais.