Ennio Morricone, o maestro das trilhas sonoras de Sergio Leone

Para “Quando explode a vingança” (1971), Morricone compôs “Giù la Testa”, um tema instrumental que se repete ao longo de todo o filme

Na última terça-feira (6 julho), a morte do maestro italiano Ennio Morricone completou um ano. Ele se foi em 6 de julho de 2020, aos 91 anos de idade.

Ao longo da vida, ele se notabilizou pelas trilhas marcantes no cinema (mais de 500 produções), principalmente ao lado de nomes como de Sergio Leone (1929-1989), que é o diretor, por exemplo, da Trilogia dos Dólares e “Era uma vez na América” (1984).

Para “Quando explode a vingança” (1971), Morricone compôs “Giù la Testa”, um tema instrumental que se repete ao longo de todo o filme (em variações e gradações diferentes), com seus “chom, chom, chom”, até atingir o ápice na voz.

“Giù la Testa” pontua principalmente a trajetória do irlandês detonador John Mallory (James Coburn), cujo passado se desvela aos poucos durante a narrativa do longa-metragem. Sem dar spoilers, o que se pode dizer é que envolve uma grande amizade.

Sobre Morricone, em poucas palavras é possível dizer que o maestro definiu a trilha clássica de faroeste, que é uma referência até hoje para os fãs do gênero. Fundamentalmente nos três filmes dos “Dólares”, nos anos de 1960. Mas a genialidade do compositor também está em outras fitas de Leone (“Era uma vez no Oeste”, de 1968, “Era uma vez na América”, de 1984); sem contar também a colaboração do maestro com cineastas do porte de Bernardo Bertolucci, Giuseppe Tornatore, Quentin Tarantino etc.

LEIA MAIS

Abaixa a cabeça! – 50 anos do filme ‘Quando explode a vingança’, um faroeste de Sergio Leone