Em nota técnica, IDR-Paraná divulga orientações sobre colheita de feijão

As instruções foram consolidadas no fórum técnico Boas Práticas na Cultura do Feijão, que reuniu cerca de 70 participantes em Cascavel

O Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná-Iapar-Emater (IDR-Paraná) divulgou nesta semana uma nota técnica com orientações sobre o manejo da colheita de feijão, especialmente a tecnologia de dessecação das lavouras.

As instruções foram consolidadas no fórum técnico Boas Práticas na Cultura do Feijão, que reuniu cerca de 70 participantes em Cascavel.

De acordo com o zootecnista Endrigo Antônio de Carvalho, coordenador do Polo de Pesquisas do IDR-Paraná em Santa Tereza do Oeste, o evento foi realizado por demanda de produtores, cerealistas e empacotadores da região. Além de profissionais ligados à extensão rural e assistência técnica, o programa do encontro contemplou palestras de especialistas em defesa sanitária, tecnologia de alimentos, saúde e meio ambiente.

“Uma oportunidade para discutir as condições de produção, renda para o produtor e qualidade do produto para o consumidor”, avaliou o engenheiro agrônomo Germano Kusdra, coordenador estadual do programa feijão do IDR-Paraná.

O fórum técnico Boas Práticas na Cultura do Feijão foi realizado em parceria com a Associação dos Engenheiros Agrônomos de Cascavel (Areac) e o núcleo regional da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná (Seab).

CULTIVO

Na safra de 2020/21, conforme dados da Conab, a produção nacional de feijão foi de 2,25 milhões de toneladas. O Estado do Paraná liderou a produção com 23,7% do total produzido, seguido por Minas Gerais (23,1%), Goiás (15%), Mato Grosso (9%) e São Paulo (7,7%). No Paraná, predomina a participação da agricultura familiar na produção, compondo a renda com outras atividades nas propriedades rurais.