Unicentro faz homenagem póstuma ao professor Ariel Pires

Familiares, alunos e colegas da universidade se emocionaram ao falar sobre o historiador que agora batiza o miniauditório do campus Santa Cruz

A Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) realizou na quarta-feira (27) uma homenagem ao professor Ariel José Pires, falecido aos 63 anos em 2019, após ter sofrido um AVC e ficar internado. Por iniciativa do Departamento de História (Dehis), o historiador que agora batiza o miniauditório do campus Santa Cruz, local onde também foi inaugurado uma peça em baixo relevo em memória do docente.

No evento, que contou com a presença de familiares, autoridades, alunos e professores, muitos se emocionaram ao falar sobre o papel de Ariel Pires na educação de Guarapuava e região. O professor e chefe do Dehis, Carlos Eduardo Schipanski, um dos idealizadores, não conteve as lágrimas ao lembrar do amigo e colega de departamento durante sua fala.

Em entrevista ao CORREIO, Schipanski destacou a importância do professor. “É com uma grande alegria que nós hoje conseguimos organizar todo esse evento em homenagem a ele. Ariel foi uma pessoa fantástica dentro da universidade e também fora dela dentro da sua atuação social e por isso é mais do que merecida esta homenagem”.

A direção do campus também reiterou a forma como Ariel conseguia ser querido em toda a universidade. “Ele viajava e contava muitas histórias em todos os departamentos. Essa homenagem hoje dá sentido ao nosso campus Santa Cruz que viaja por todos os departamentos, e que é representado pelo professor Ariel e que hoje com o nome do nosso miniauditório”, afirmou a diretora do campus, Christine Vargas Lima.

Representando a família, o genro de Ariel, o psicólogo Maximiliano Silva relatou que a família ficou muito emocionada com a homenagem. “A gente não esperava a magnitude do evento, quantas pessoas iam estar aqui, mesmo sabendo que o professor era muito amado. A gente fica extremamente emocionado, honrado e isso aqui vai ficar para sempre. É a marca do legado e muito justo pelo trabalho de vida que ele fez e pelo trabalho que ele fez aqui dentro da Unicentro”, disse Maximiliano que estava acompanhado do filho e neto de Ariel, Gustavo Pires Silva.

Peça em baixo relevo que foi instalada na entrada do miniauditório (Foto: Redação/Correio)

PEÇA
Jhonnathan Ferreira é ex-aluno da Unicentro e trabalhou com o professor Ariel Pires no Instituto Histórico de Guarapuava (IHG). Ele é o responsável pela produção da peça em baixo relevo que foi instalada na entrada do miniauditório.

“A gente começou a achar as fotos e com o apoio da professora Terezinha Saldanha e do professor Helvio a gente conseguiu apresentar e teve todo o protocolo da Unicentro para daí ser feita a peça”. Segundo ele, o processo iniciou ainda antes da pandemia.

Jonnathan se emocionou muito ao falar da relação que tinha com Ariel e como foi importante participar deste momento ao confeccionar o baixo relevo com a imagem do professor. “A sorte que eu tive foi conhecer ele depois que ele se aposentou. Ele que me deu as boas-vindas para o Instituto Histórico, ele e o professor Murilo [Teixeira]. É muito emocionante para mim, porque quando meu pai faleceu o professor Ariel assumiu essa figura pra mim, me ajudando, me aconselhando, estando sempre perto. E foi muito rápido, tanto a perda do meu pai, quanto a perda dele, muito seguido uma da outra. Mas eu não tenho como resumir a alegria de poder fazer essa peça. Não consigo traduzir em palavras a alegria que é fazer essa homenagem pro meu amigo”, contou.

Conforme Jonathan, o processo de confecção iniciou com a modelagem em 3D a partir de um software, depois foi impressa e em seguida feito um molde em silicone para fazer a peça final em resina.

Jhonnathan Ferreira é ex-aluno da Unicentro e trabalhou com o professor Ariel Pires no IHG (o primeiro, da dir. pra esq.) – Foto: Redação/Correio