Unicentro arrecada tampas plásticas para trocar por fraldas geriátricas

O projeto está sendo realizado pelos Programas de Educação Tutorial da Unicentro

Os Programas de Educação Tutorial (PETs) da Unicentro, estão arrecadando tampinhas plásticas para serem trocadas por fraldas geriátricas. 

De acordo com a professora,  Cacilda Rios Faria, coordenadora do PET Agronomia, a ideia surgiu a partir da observação de projetos semelhantes em outras cidades e, também, da percepção do quanto a ação revertia em benefícios principalmente para as instituições que trabalham com idosos. 

“O objetivo principal é a gente arrecadar essas tampas plásticas para encaminhar para essas instituições. Esse projeto é um projeto de extensão que a gente chama de projeto InterPETs. Dele participam os oito grupos PETs da instituição. Nós temos quatro no Cedeteg, três no campus Santa Cruz e um em Irati”.

A professora explica que podem ser destinadas ao projeto qualquer tipo de tampa plástica – como as de bebidas, produtos de higiene e de limpeza. Ela reforça, no entanto, que tampas de alumínio não se enquadram nesse projeto e devem ser encaminhadas para outro tipo de coleta. 

“Não devem ser encaminhados para este projeto tampas de azeite, lacres de alumínio tampa de alumínio, embalagem de medicamento ou qualquer material que não seja plástico. Lembrando que esses materiais também são recicláveis, mas não fazem parte deste projeto. Existem projetos que recolhem esse tipo de material, então, apesar de a gente não recolher, eles devem ser encaminhados para a sua devida reciclagem ou aproveitamento”, complementa.

O três campi da Unicentro – o Santa Cruz e o Cedeteg em Guarapuava e o campus de Irati, têm pontos de coleta das tampas plásticas. Além desses locais, a pessoa que quiser doar também podem entrar em contato pelas redes sociais de qualquer grupo PET. 

“Nós temos o PET Engenharias, em Irati. O PET História, PET Filosofia e PET Letras, no campus Santa Cruz, e temos o PET Geografia, PET Química, PET Física e PET Agronomia no campus Cedeteg. Então, pode entrar na rede sociais de qualquer um desses grupos que algum membro do grupo poderá realizar a coleta”, afirma Cacilda.

As tampinhas coletadas são encaminhadas ao SOS de Guarapuava. “Nós estamos fazendo a entrega, mais ou menos, uma vez por mês, a cada 40 dias. A gente recolhe todas as tampinhas e levamos ao SOS. Essas tampas, então, são revestidas em fraldas geriátricas para aqueles idosos que moram neste local”, explicou Cacilda.

****Coorc/Unicentro/Com edição****