Operação prende grupo envolvido com tráfico de drogas sintéticas

Em entrevista coletiva, o delegado Alysson de Souza, da 14ª Subdivisão Policial (SDP), afirmou que as investigações começaram após a prisão de um DJ em fevereiro deste ano, efetuada pela Polícia Militar (PM) durante uma festa

A Polícia Civil prendeu, nesta terça-feira (14), um grupo de pessoas envolvidas com tráfico de drogas sintéticas em Guarapuava e Curitiba. A ação faz parte da “Operação CWB”, que teve 27 mandados judiciais expedidos – 13 de busca e apreensão e 14 de prisão.

Em entrevista coletiva, o delegado Alysson de Souza, da 14ª Subdivisão Policial (SDP), afirmou que as investigações começaram após a prisão de um DJ em fevereiro deste ano, efetuada pela Polícia Militar (PM) durante uma festa.

Segundo o delegado, com o rapaz foram encontrados 381 comprimidos de ecstasy e 1,2 litro de lança-perfume – conhecido como “loló”.

Foi a partir daí, com a análise de equipamentos apreendidos, que os agentes perceberam uma ligação com traficantes das duas cidades.

“Eles traziam para cá drogas do tipo ecstasy, para as festas rave, loló, e, para a nossa surpresa, eles introduziram uma nova droga em Guarapuava, que se chama ‘key’ [ou ketamina]”, acrescentando que, no total, foram identificados 14 traficantes, incluindo o DJ preso em fevereiro.

Até a manhã desta terça-feira, dez pessoas haviam sido presas – quatro em Guarapuava, cinco em Curitiba e uma em Londrina. “São indivíduos jovens, que frequentam festas raves”.

O delegado afirmou que quatro pessoas de Curitiba são apontadas como fornecedores de ecstasy e outros entorpecentes. “A maioria aqui, de Guarapuava, são jovens que frequentavam as festas e acabaram entrando nesse mundo”.

TRANSFERÊNCIA
De acordo com Alysson de Souza, a intenção é trazer todos os presos para Guarapuava; há ainda quatro pessoas que, ou devem se apresentar à polícia, ou terão cumprido seus mandados de prisão pelos agentes.