Novas apreensões consolidam Operação Dionísio como maior ação da história no combate à entrada irregular de vinhos no Brasil

Ação coordenada pela Receita Federal com Aduana argentina e outros órgãos de segurança resultou na apreensão de cerca de 27 mil garrafas de vinho com valor estimado em R$ 5 milhões

Novas ações da Receita Federal nesta quarta-feira (4) elevaram para cerca de R$ 5 milhões o total de apreensões de garrafas de vinho introduzidas irregularmente no país no âmbito da Operação Dionísio. 

A operação foi realizada entre os dias 28 de fevereiro e 4 de março, e configurou-se como a maior ação integrada para o combate à entrada irregular de bebidas alcoólicas na região da fronteira com a Argentina. 

Ao todo, foram apreendidas cerca de 27 mil garrafas de vinhos e espumantes no período, com ações direcionadas em depósitos, lojas, transportadoras e agências de correio, além de abordagens nas estradas do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.  

A ação contou com a participação do órgão responsável pelo controle aduaneiro na Argentina, a Administracíon Federal de Ingresos Públicos (Afip) e diversos outros órgãos de segurança, como Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), e Polícias Militares (PM) do Paraná e Santa Catarina.   

O chefe da Divisão de Repressão ao Contrabando e Descaminho da Receita Federal, auditor-fiscal Tsuyoshi Ueda, destacou a relevância da ação integrada para o sucesso da operação. “Quando somamos todo o conhecimento e experiência que cada órgão público tem em sua área de atuação, conseguimos resultados muito superiores. Esta é a maneira mais efetiva de combater o crime organizado. A integração com a Afip também será fundamental para aumentarmos a segurança na região da fronteira e combater as organizações criminosas que ali atuam”, destacou Ueda.  

A Afip realizou operações com 25 servidores próprios e apoio de 8 agentes da Polícia Federal argentina em estabelecimentos sob sua jurisdição para verificar indícios de sonegação fiscal, realizando a apreensão de cerca de 2.400 garrafas de outros países e inventariando 80 mil garrafas argentinas para análise da conformidade tributária. A troca de inteligência entre os dois órgãos aduaneiros permitirá a investigação sobre os líderes das organizações que atuam na região, alimentando novas ações no futuro. 

DEPÓSITOS

Ainda no âmbito da Operação Dionísio, 18 servidores do órgão realizaram ações em dois depósitos e duas lojas em Balneário Camboriú (SC), baseado em dados coletados durante as investigações que nortearam a ação. Em um dos estabelecimentos foram apreendidas mais de 2.500 garrafas de vinho, enquanto nos outros ainda estava sendo feita a contagem do material até o início da tarde desta quinta. 

As ações nas estradas também continuaram. Entre Santo Antônio do Sudoeste e Ampére, dois veículos carregando somados 50 caixas de vinho foram apreendidos pela Receita Federal. Somando todos dias da operação, a Receita Federal apreendeu mais de 32 toneladas de produtos, incluindo-se outras mercadorias como entorpecentes, eletrônicos e remédios de ingresso proibido no Brasil. 

A apreensão de vinhos na região de fronteira com a Argentina tem crescido ao longo dos últimos anos. Em 2019, foram apreendidos cerca de R$ 6 milhões em bebidas. Este número saltou para mais de R$ 18 milhões em 2020 e, nesses primeiros meses de 2021 já supera a marca de R$ 10 milhões de reais.