Mais de 250 pessoas caem em golpe de ‘falso emprego’ em Guarapuava

Em entrevista coletiva, o delegado Rodrigo Cruz dos Santos afirmou que um homem (29 anos) havia criado uma falsa empresa de recrutamento, e que cobrava R$ 650 de cada pessoa que buscava emprego

Um homem (29 anos) foi preso na tarde desta quinta-feira (9 setembro) acusado de aplicar golpes através de um esquema de pirâmide em Guarapuava. A estimativa é que mais de 250 pessoas tenham sido lesadas.

Em entrevista coletiva concedida nesta sexta (10), o delegado da Polícia Civil, Rodrigo Cruz dos Santos, afirmou que o suspeito criou uma falsa empresa de recrutamento, e que prometia emprego em diversos locais, inclusive na Prefeitura e na Câmara de Vereadores.

“Empresas que ele sabia que contratavam com bastante frequência e bastante número, e prometia para essas pessoas que pagando R$ 650, que seria a título de exames admissionais, eles seriam chamados posteriormente para trabalhar nessas empresas”, disse o delegado, acrescentando que eram oferecidos valores de R$ 3,5 a R$ 5 mil.

Pelos levantamentos feitos pela 14ª Subdivisão Policial (SDP), de 250 a 300 pessoas podem ter sido vítimas do estelionatário. “É um golpe muito amador, até não tem nada de elaborado”, pontuou Rodrigo.

A situação veio à tona após uma das colaboradoras da empresa perceber que havia algo errado. No esquema, o acusado citava nomes de pessoas influentes em Guarapuava, como empresários e políticos; a mulher, então, conversou com um familiar de um empresário e descobriu que ele não tinha qualquer relação com o negócio.

“Então, esse empresário acionou a Polícia Militar, que esteve no local, fez o levantamento e conduziu esse senhor até a delegacia”, afirmou.

De acordo com o delegado, as informações, até o momento, dão conta que o suspeito agia sozinho e apenas em Guarapuava.

Entrevista coletiva ocorreu na manhã desta sexta-feira (10 setembro), em Guarapuava (Foto: Redação)

DESDOBRAMENTOS
A Polícia Civil pede que todas as pessoas que foram vítimas do estelionatário registrem boletim de ocorrência pela internet ou diretamente na 14ª SDP. Está sendo feito um cadastro de todos que foram lesados e, mais tarde, serão chamados na delegacia.

“Por se tratar de um crime de estelionato, essas pessoas devem manifestar o interesse na representação criminal. Então vai ser entrado em contato com todas essas pessoas e vamos separar em grupos de 20 pessoas e, com cada grupo, vai ser instaurado um inquérito e vai ser apurado o montante de que essas pessoas foram vítima”, acrescenta Rodrigo.

Segundo o delegado, o suspeito respondeu às perguntas do interrogatório e alegou que sua intenção era realmente abrir uma empresa de recrutamento.

“Ele foi preso em flagrante e agora cabe ao Poder Judiciário e ao Ministério Público analisar se vão requerer a [prisão] preventiva dele. Em razão do número de vítimas e do valor desse golpe, possivelmente vai ficar preso preventivamente”, ressaltando que ele foi preso em flagrante.

RESSARCIMENTO
A partir de agora, também cabe ao Judiciário decidir como as pessoas afetadas serão ressarcidas; em um primeiro momento, um grupo de 38 vítimas, que compareceu na 14ª SDP na quinta-feira, conseguiu recuperar a quantia em dinheiro.

“Nós vamos representar pelo sequestro de todos os bens e valores existentes em contas bancárias e futuramente vai ser definido qual o critério para devolver para o maior número de pessoas”, esclareceu o delegado.