Funcionária de cartório é presa após fazer compras com documentos de clientes em Guarapuava

De acordo com o delegado Rubens Miranda, a estelionatária foi descoberta nesta quinta-feira (17) e está presa; ela é estudante do 4º período de direito

A Polícia Civil de Guarapuava desarticulou um esquema de estelionato na tarde desta quinta-feira (17) após denúncia recebida por uma loja de móveis da cidade. Uma jovem (25 anos), que estuda direito e é estagiária em cartório, estava utilizando o nome dos usuários do estabelecimento para fazer compras de móveis e eletrodomésticos.

Em entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira (18) na 14ª Subdivisão Policial (SDP), o delegado responsável pelo caso, Rubens Miranda, contou como a polícia chegou até a autora. “Ao ser apurada essa denúncia, verificou-se que uma mulher estaria utilizando de cópias de CNH para adquirir objetos desta loja. Na segunda-feira ela adquiriu um conjunto de cozinha e um climatizador, e ontem [quinta-feira] ela adquiriu um refrigerador”.

Conforme as investigações, ela efetuava a compra dos objetos pelo celular, encaminhando a foto dos documentos das vítimas. Em seguida, ela ia até a loja para fazer a assinatura da compra. “Ela alegava que a compradora estava com um problema na perna, pegava o contrato para a suposta compradora assinar. Ela mesmo fazia a assinatura e devolvia na loja”, explica o delegado.

No entanto, nesta quinta-feira (17) ao tentar comprar a geladeira, uma funcionária da loja reconheceu o nome da vítima nos documentos e por conhecê-la, perguntou porque ela estava comprando a geladeira e entregando em outro endereço. Ao receber a negativa em relação a compra, a funcionária desconfiou se tratar de um golpe.

Polícia Civil montou uma operação e foi junto com a loja entregar a geladeira na casa da golpista (Foto: PC)

PRISÃO
Ao ser avisada, a Polícia Civil montou uma operação e foi junto com a loja entregar a geladeira na casa da golpista. A mulher pedia para deixarem os produtos em um local, e depois levava para a casa que fica próxima. “Identificamos a casa dela. Foi dada voz de prisão, ela acabou resistindo, mas foi trazida para a 14ª. Ela foi autuada por estelionato, falsidade ideológica e desobediência”.

Até o momento, a Polícia Civil identificou dois financiamentos para compra dos móveis, no nome de duas vítimas. Os bens apreendidos na casa da estelionatária foram avaliados em R$ 5.000. Na casa, a polícia encontrou mais uma mesa com características de nova, no entanto não se sabe ainda se é de origem do mesmo golpe, já que não foi encontrada nenhuma nota referente a ela.

PARTICIPAÇÃO
Em relação ao cartório, o delegado Rubens acredita que os proprietários desse estabelecimento onde ela era estagiária não tinham conhecimento da prática criminosa. Porém, segundo ele, há possibilidade de uma segunda pessoa estar envolvida no esquema.

“Nós acreditamos que tenha pelo menos mais uma pessoa envolvida, porque ela não conseguiria fazer o transporte desses objetos a três quadras de distância sozinha. Bem como possa ter mais vítimas, de objetos que não estavam na casa dela”, finaliza.