Ariane Pereira é eleita presidenta do Conselho do Direito das Mulheres de Guarapuava

O CMDMG busca a participação popular na proposição de diretrizes de ação governamental voltadas à promoção dos direitos das mulheres

Nesta terça-feira (23), a jornalista, mestre em Letras e doutora em Comunicação e Cultura, e professora do Departamento de Comunicação Social (Decs) e do Programa de Pós-Graduação em História (Ppgh) da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), Ariane Pereira, foi eleita presidenta substituta do Conselho Municipal do Direito da Mulher de Guarapuava (CMDMG). A eleição ocorreu via Google Meet.

“Assumir a presidência do CMDMG é, sobretudo, um compromisso com a construção de uma cidade com equidade entre os gêneros. Afinal, o CMDM tem como prerrogativa a proposição e a fiscalização de políticas públicas voltadas para nós, mulheres, em todos os âmbitos da vida em sociedade – direito ao trabalho e à renda, direito à uma renda equitativa a dos homens, direito à formação para as mulheres e escola para os filhos delas, direito a segurança – seja dentro de casa, na rua ou no transporte público, enfim, direito a uma vida digna e sem medo”, destacou a nova presidenta. 

Ariane também coordena o projeto de extensão Florescer, que atua no combate e na prevenção à violência contra a mulher em Guarapuava, desde 2015. Ela destacou que a entidade tem um papel crucial para dialogar e buscar soluções sobre a perspectiva de gênero, na busca de igualdade nos direitos de homens e mulheres. 

Os demais membros da diretoria serão escolhidos nas próximas reuniões. Estes encontros ocorrem todas as terceiras quarta-feira do mês e, devido ao decreto municipal de enfrentamento à Covid-19, as reuniões são realizadas de forma remota.

CONSELHO

O CMDMG busca a participação popular na proposição de diretrizes de ação governamental voltadas à promoção dos direitos das mulheres, atuar no controle de políticas públicas de igualdade entre os gêneros, assim como exercer a orientação normativa e consultiva sobre os direitos das mulheres no município.

As informações são da Secretaria de Comunicação (Secom) de Guarapuava.