Guarapuava, 15 de December de 2018
Segurança

Claudio Cantelli Júnior e Rodolpho Scherner Neto irão cumprir quatro anos e 18 dias no regime semiaberto. A Vara de Execuções Penais já foi notificada para realizar a soltura dos réus

-
(Foto: Divulgação)

A 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) julgou e deu provimento parcial ao recurso de apelação da defesa de Claudio Cantelli Junior e Rodolpho Scherner Neto, presos na operação “Bala da Noite”.

De acordo com a defesa, a Justiça reduziu a pena privativa dos dois acusados, reconhecendo que ambos praticaram o delito de tráfico privilegiado.

A pena inicial de Claudio era de 26 anos, seis meses e dez dias de reclusão em regime fechado; com a nova decisão, sua pena passou para quatro anos e 18 dias no regime semiaberto. Já Rodolpho, que iria cumprir 21 anos, dois meses e 29 dias de reclusão, terá a mesma pena que o outro acusado.

O advogado dos réus, Claudio Dalledone Júnior, afirmou que as penas impostas em 1° grau eram “absurdas”, e que acreditava que a Justiça iria impor uma nova pena proporcional ao caso.

“A defesa está satisfeita com a decisão do TJ-PR, e espera que a Vara de Execuções Penais de Guarapuava seja célere na adoção de providência de soltura”, disse em nota.

CASO

A operação “Bala da Noite” foi deflagrada no dia 8 de dezembro de 2016. Dos 21 envolvidos no caso, a Justiça de Guarapuava condenou 19.

A operação investigou o tráfico de drogas na “terra do lobo bravo”, principalmente o ecstasy. De acordo com investigações do Ministério Público do Paraná (MP-PR) e da Polícia Civil, os envolvidos atuavam em festas de música eletrônica e em casa noturnas do município.

 


Veja Também