Guarapuava, 12 de dezembro de 2019
#curta!

Com seu costumeiro olhar crítico e sua poderosa voz rimada, o rapper guarapuavano NZumba mira na sociedade em seu novo álbum de estúdio, “Sankofa”. Na última quarta-feira (20), Dia da Consciência Negra, ele apresentou a faixa “Vale das Sombras” no formato de videoclipe, com produção de Well

-

Steve Biko, Amílcar Cabral, Malcolm X, Jesse Owens, Rosa Parks. Estes são alguns dos líderes revolucionários negros citados no novo trabalho do rapper guarapuavano NZumba, “Vale das Sombras”.

No ar desde quarta-feira (20), Dia da Consciência Negra, o videoclipe da canção tem como núcleo central uma história de amor, em meio à crítica social e a necessidade de liberdade. Por isso, Zumba lista as verdadeiras figuras que vão libertar o homem negro. “[Os livros eurocentrados] só me passaram uma história de inferiorização”.

Aliás, o conhecimento pode ser doloroso. Principalmente quando as verdades provocam a saída do ninho. “É doloroso tirar as escamas dos olhos”, diz o rapper, afirmando que o conhecimento e a leitura modificam o sujeito.

Nesse horizonte, o guarapuavano acredita que nomes mais conhecidos do movimento negro, como Nelson Mandela (ex-presidente da África do Sul) e Martin Luther King (ativista norte-americano), foram amansados pelo sistema, perdendo sua voz. Em contrapartida, Dr. Sebi, Samora Machel e Thomas Sankara estão escondidos, pois são os líderes revolucionários com a chave da libertação.

Inclusive, Zumba reforçou com o diretor do clipe de “Vale das Sombras”, Wellington Oliveira, de que precisava inserir as imagens e os nomes dessas figuras pouco conhecidas.

Assim, o audiovisual ganhou corpo e forma, com locações feitas em Guarapuava. Em uma das cenas, o artista aparece cantando diante da Catedral Nossa Senhora de Belém. É uma crítica social ao fato de que, antigamente, os negros não podiam entrar nessa igreja, segundo Zumba. “Vocês pensaram que iam nos enterrar, mas esqueceu que a gente é semente”.

O artista guarapuavano aproveita para comentar que o sistema social não permite ao negro encontrar sua representatividade, sendo negado seus valores. “Até dentro de uma igreja não consigo me enxergar. Cadê o Papa preto?”.

Arte da capa do novo álbum de Zumba é uma criação de Luiz Carlos Hofmann Junior (Foto: Reprodução)

COLABORAÇÃO

Um nome importante na produção do clipe de “Vale das Sombras” é o do diretor Well, como é mais conhecido.

Zumba conta que, logo de cara, o produtor entendeu a ideia da letra da música. “As coisas começaram a fluir naturalmente. A gente não forçou nada”, diz o rapper.

Nesse sentido, Well explica que o trabalho foi feito em conjunto. “Não dá pra esquecer que o que guiou tudo isso foi a qualidade musical”, destacando o trabalho artístico de Zumba.

Depois de um mês de gravações, “Vale das Sombras” estreou na internet justamente no Dia da Consciência Negra. O rapper conta que a finalização de todo o processo de produção mirou nessa data especial.

DISCO

Além de ter virado clipe, a canção “Vale das Sombras” é uma das oito faixas do novo álbum independente de Zumba, “Sankofa”, com produção de Prodoctor. O rapper diz que a palavra que batiza seu disco de inéditas é de origem africana e significa “volte ao passado e pegue o que é seu”.

O planejamento é divulgar semanalmente singles do material, até o lançamento integral nos principais serviços de streaming em dezembro deste ano.

Wellington Oliveira, o Well, é o diretor do novo clipe de Zumba (à dir.), "Vale das Sombras" (Foto: Douglas Kuspiosz/Correio)

PRODUTORA

Junto com o lançamento do novo clipe, surge em Guarapuava a Só Pedrada, uma produtora com o objetivo de agenciar e divulgar o trabalho dos grandes talentos musicais do município, independentemente do gênero. O primeiro deles é Zumba.

Segundo Well, a Só Pedrada nasceu a partir de um amigo em comum, que assistiu emocionado a “Vale das Sombras”. Na hora, essa pessoa acenou com patrocínio e deu a ideia da produtora. “O resultado está sendo maior do que a gente imaginava”, diz o diretor, explicando que muita coisa boa está acontecendo nesse momento.

CARREIRA

Com mais de 25 anos na cena musical de Guarapuava, Fernando Siqueira tem dois projetos em atividades: NZumba, na vertente do rap; e a banda Unidade 731, de rock e metal. Tanto num caso quanto noutro, as letras de Zumba são recheadas de crítica social.

 

*****************O novo clipe

Veja Também