Guarapuava, 16 de dezembro de 2019
Cotidiano

Esses profissionais exercem a função contando, principalmente, com o uso de aparelhos como tomografia computadorizada, mamografia, ultrassonografia e a ressonância magnética nuclear, para gerar e analisar uma imagem

-

Visualizar o corpo humano por dentro, identificar alguma doença ou problema no corpo, dando suporte ao diagnóstico e tratamento. Essas são algumas funções do radiologista, profissional que usa as radiações para que o paciente receba orientação para o tratamento.

Esses profissionais exercem a função contando, principalmente, com o uso de aparelhos como tomografia computadorizada, mamografia, ultrassonografia e a ressonância magnética nuclear, para gerar e analisar uma imagem. Ou seja, eles funcionam como elo entre essa paciente e os médicos para que o paciente receba o diagnóstico e o tratamento adequados.

De acordo com a Fabiana Villaça, radiologista da Maternidade Escola Januário Cicco, em Natal (RN), esse profissional é fundamental, pois quanto mais assertivo for o diagnóstico, mais benefícios terá o paciente. “Nosso papel é definir o tipo de tratamento que vai ser realizado, seja para uma doença benigna, para uma doença maligna, como o câncer, ou para diferentes especialidades médicas ”, explica Villaça.

SEGURANÇA

O uso correto de dos equipamentos de proteção é fundamental para a saúde dos radiologistas. De acordo com Fabiana, essa é uma cuidado adotado pelos profissionais. “Procuramos nos proteger com os aventais de chumbo, com paredes que têm esse produto também ou vidro. Temos material com tratamento específico para tentar diminuir mais essa radiação”, explica. Além disso, quanto mais atual a máquina utilizada, menos radiação ionizante ela emite aos seus operadores e pacientes.

A profissional de radiologia destaca também que, atualmente, os riscos de exposição à radiação são menores por conta da evolução tecnológica e das legislações próprias à proteção radiológica. “Quando há uma exposição maior de radiação, a pessoa pode ter algumas consequências na pele, como queimadura vermelhidão no corpo. As consequências de longo prazo podem causar algumas doenças”, completa.

PACIENTE

O exame de raio-X é seguro para o paciente. A dose de radiação envolvida na maioria dos exames de Raios X, ainda mais quando se tem tecnologias melhores hoje, é bem pequena. A preocupação é com a repetição acentuada de exames. “Quando estamos diante de um paciente pensamos no princípio da justificação, que é pensar qual benefício aquele exame vai trazer para o paciente, se aquele exame justifica passar pela radiação para chegar ao diagnóstico pela segurança do paciente”, ressaltou Fabiana.

Veja Também