Guarapuava, 15 de setembro de 2019
Segurança

Segundo um agente do Corpo de Bombeiros ao CORREIO, os atendimentos estão priorizando queimadas próximas às residências e comércios

-

A equipe do CORREIO registrou, por volta das 14h desta quarta-feira (21), um incêndio de vegetação nas margens da PR 466, próximo ao posto da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) em Guarapuava. 

De acordo com o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar), é comum que o tempo seco e de estiagem neste inverno favoreça a propagação das queimadas.

REGISTROS

No Paraná, foram 7.142 registros em 2019, aumento de 16% em relação ao mesmo período do ano passado, com 5.985. Desde o começo da estação foram compilados 4.140 casos, o que representa 57,9% do total. Esse número quase iguala o total de registros em todo o inverno de 2017 (4.473 casos) e ultrapassa 2018 no mesmo período (3.698 casos).

Durante o último fim de semana (17 e 18 de agosto), o 12º Grupamento de Bombeiros registrou, em Guarapuava e região, 16 incêndios de vegetação.

Segundo um agente do Corpo de Bombeiros ao CORREIO, os atendimentos estão priorizando queimadas próximas às residências e comércios, ou que atrapalhe o funcionamento de trânsito por conta das fumaças.

Foto: Douglas Kuspiosz

CAUSAS

De acordo com os Bombeiros, os incêndios ambientais mais comuns são causados por fatores naturais (incidência de raios e combustão espontânea) ou pela ação do homem (queimadas para limpeza de áreas de plantio, fogueiras, incêndios criminosos ou lançamento de bituca de cigarro em local inapropriado).

Segundo o Corpo de Bombeiros, para evitar as queimadas é importante não queimar o lixo, optando, sempre, pelo descarte no lugar indicado; não jogar cigarro próximo à vegetação; não fazer fogueiras em áreas verdes; não soltar balões; e procurar outros métodos para limpeza de terreno e renovação de pastagem, com apoio dos órgãos públicos interessados. 

Foto: Douglas Kuspiosz

INFORMAÇÕES

Em caso de incêndio, a população deve ligar para o telefone 193 com urgência. Há equipes disponíveis 24 horas por dia para atender as demandas.

Veja Também