Guarapuava, 17 de December de 2018
Segurança

Durante o lançamento, a secretária de Políticas Públicas para as Mulheres, Priscila Schran ressaltou a importância de construir uma sociedade com equidade de gênero

-
Secretária de Políticas Públicas para as Mulheres, Priscila Schran (Foto: Secom/Prefeitura)

Em alusão ao 12º aniversário da Lei Maria da Penha, a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres, em parceria com o Numape (Núcleo Maria da Penha) e o Cram (Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência), realizou nesta terça-feira (7) o lançamento do projeto “Lei Maria da Penha nas Escolas”, que tem como objetivo utilizar a educação como uma ferramenta nas ações de prevenção de violência contra a mulher.

Durante o lançamento, a secretária de Políticas Públicas para as Mulheres, Priscila Schran ressaltou a importância de construir uma sociedade com equidade de gênero. “No nosso cotidiano infelizmente vemos práticas que vão fortalecendo a cultura machista. São coisas que parecem ser simples, como uma frase em uma música ou um comentário que coloca as mulheres em situações de humilhação, isso infelizmente vai se reproduzindo na sociedade. Por isso estamos trabalhando nessas ações de longo prazo para inserir na rotina das pessoas e das crianças as ações preventivas”.

Nas escolas, o projeto será dividido em três etapas e a primeira ação inicia no dia 24 de agosto no Residencial 2000. “Na primeira etapa conversaremos com a equipe da escola, para apresentar e explicar aos profissionais os serviços da rede, para que eles saibam o que fazer em situações de violência. A segunda etapa será com os pais, mães e responsáveis, para falar sobre a desnaturalização da violência. No último momento vamos atingir diretamente as crianças, aplicando esse conteúdo com a metodologia certa para cada faixa etária, através de teatro, dinâmicas, e atividades diferenciadas”, explicou.

DEBATE

O evento de lançamento contou com uma mesa-redonda que discutiu alguns casos recentes de violência contra a mulher, reflexos da violência doméstica no ambiente escolar e a naturalização da violência. Além disso, durante a mesa redonda foram apresentados os dados e ações realizadas pela Rede de Enfrentamento à Violência Contra Mulher.

Também estavam presentes a secretária de educação Doraci Senger Luy, a vereadora Professora Terezinha, professores, pedagogos e diretores de escolas municipais.


Veja Também