Guarapuava, 17 de novembro de 2019
Policial

Homem está preso na Penitenciária II, em Sorocaba (SP), em razão de outros crimes, e confessou ter estuprado e em seguida matado a garota. A polícia intensificará as diligências para averiguar se todas as informações estão de acordo com a verdade

-

A Polícia Civil do Paraná interrogou o suspeito do crime que vitimou Rachel Genofre (9 anos) ocorrido no dia 3 de novembro de 2008. O homem está preso na Penitenciária II, em Sorocaba (SP), em razão de outros crimes, e confessou ter estuprado e em seguida matado a garota. O interrogatório aconteceu na tarde de terça-feira (24) e nesta quarta-feira a delegada Camila Cecconelo recebeu a imprensa para falar sobre o caso.

Inicialmente, o suspeito se negou a prestar esclarecimentos sobre o crime. Disse que só falaria em juízo. Entretanto, cedeu após ser informado pelas autoridades da Polícia Civil que a autoria do crime já havia sido confirmada através de confronto de material genético.

Em seu depoimento, o suspeito informou que morava no Centro de Curitiba, próximo à escola em que Rachel estudava. Disse que já havia observado qual era a rotina da menina, bem como o caminho que ela fazia até o ponto de ônibus diariamente.

O homem conseguiu atrair a vítima para sua casa passando-se por produtor de um programa televisivo infantil. Ele teria dito que se ela quisesse participar do programa teria que acompanhá-lo até um suposto escritório para assinar uns papéis.

De forma fria e sem demonstrar arrependimento, o autor do crime contou à polícia que Rachel estranhou quando chegou em sua residência. Segundo ele, a menina tentou reagir e começou a gritar, momento em que a violentou sexualmente e na sequência a matou, no mesmo dia.

Sobre a razão de ter colocado o corpo de Rachel dentro de uma mala de viagem e abandonado na Rodoviária de Curitiba, o homem não deu muitos detalhes, apenas informou que era uma forma de transitar no local sem ser percebido.

A Polícia Civil intensificará as diligências a fim de averiguar se todas as informações fornecidas pelo suspeito durante seu interrogatório estão de acordo com a verdade. Outras pessoas devem ser ouvidas até a conclusão do inquérito policial.

ENTENDA

Há quase 11 anos, no dia 5 de novembro de 2008, a jovem curitibana Rachel Genofre foi encontrada morta na rodoferroviária de Curitiba, dois depois dela desaparecer, na saída do Instituto da Educação.

Ela foi localizada embaixo de uma escada, numa mala, envolvida em dois lençóis. Laudos técnicos da Polícia Científica comprovaram que Rachel sofreu violência sexual.

Veja Também