Guarapuava, 26 de junho de 2019
#curta!

Os bate-papos, originalmente publicados no jornal literário ‘Cândido’ entre 2017 e 2018, focam nas transformações ocorridas no setor nas últimas quatro décadas

-

Afinal, quem edita os livros? Geralmente, a cadeia de produção no mercado editorial se concentra em autores, leitores e livreiros. Pelo menos em termos de popularidade e conhecimento.

Mas existe uma figura que trafega nos bastidores e é fundamental para a produção de um livro (seja em papel ou digital): o editor. O Brasil tem um histórico de editoras famosas e homens por trás delas, como é o caso, por exemplo, de José Olympio (da casa que leva seu nome), responsável por publicar autores como Graciliano Ramos (“Vidas Secas”) e José Lins do Rego (“Menino de Engenho”).

Nesse sentido, é muito bem-vinda uma edição lançada ao final de 2018 pela Biblioteca Pública do Paraná (BPP). Trata-se do livro “Os editores”, que reúne 11 entrevistas com profissionais do mercado editorial brasileiro. Os bate-papos, originalmente publicados no jornal literário “Cândido” entre 2017 e 2018, focam nas transformações ocorridas no setor nas últimas quatro décadas.

Além de comentar essas mudanças, os entrevistados relembram fatos marcantes em suas trajetórias e outros assuntos instigantes, como educação, literatura brasileira e hábitos de leitura.

Com cerca de 50 mil títulos, entre novos e reedições, lançados por ano, o mercado editorial brasileiro deu um salto em termos de números e de qualidade nas últimas décadas. Alguns dos editores que ajudaram a construir esse cenário estão no livro. Veteranos como Jacó Guinsburg (Perspectiva) - entrevistado alguns meses antes de morrer -, Luiz Schwarcz (Companhia das Letras), Ivan Pinheiro Machado (L&PM) e Jiro Takahashi (Global) dialogam com profissionais mais jovens, como o independente Eduardo Lacerda (Patuá).

Editores “fora do eixo” também marcam presença, como é o caso de Roberto Gomes, romancista que esteve à frente da Criar Edições nos anos 1980 em Curitiba.

A lista de entrevistados é composta por Luiz Schwarcz, Maria Amélia Mello, Plínio Martins, José Mario Pereira, Jacó Guinsburg, Roberto Gomes, Ivan Pinheiro Machado, Luciana Villas-Boas, Eduardo Lacerda, Isa Pessoa e Jiro Takahashi

ILUMINAM

Ainda que alguns editores tenham transitado por diversos segmentos, a maior parte dos entrevistados trabalhou ou ainda trabalha com literatura. “São pessoas que conhecem bem os sabores e dissabores de lidar com ficção em um país de poucos leitores. Por isso, suas opiniões iluminam aspectos centrais da literatura brasileira contemporânea e indicam horizontes para o futuro”, escreve na orelha do livro Luiz Rebinski, editor do jornal “Cândido”.

Além das entrevistas, o livro também traz imagens dos editores feitas por um time de excelentes fotógrafos, o que valoriza ainda mais essa obra que registra o que de melhor aconteceu nas últimas décadas em termos de edição, sob o olhar daqueles que fizeram e estão fazendo história do mercado brasileiro.

O jornalista e escritor Ruy Castro assina a quarta capa da obra e em seu texto enfatiza que “ninguém entende tanto de livros quanto os editores. Mas se você perguntar como fazer de um livro um best-seller ou um candidato a prêmio literário, eles não saberão dizer. É o que torna fascinante esse ramo de negócios”.

ENTREVISTADOS

Luiz Schwarcz, Maria Amélia Mello, Plínio Martins, José Mario Pereira, Jacó Guinsburg, Roberto Gomes, Ivan Pinheiro Machado, Luciana Villas-Boas, Eduardo Lacerda, Isa Pessoa e Jiro Takahashi.

SERVIÇO

O livro “Os editores” (180 páginas) é uma publicação do selo Biblioteca Paraná e custa R$ 20. Mais informações: (41) 3221-4994.

Veja Também