Guarapuava, 13 de outubro de 2019
Segurança

98 municípios já contam com o serviço inovador, que deve ser expandido. Além de liberar policiais para outras atividades, sistema grava os depoimentos e dá mais confiabilidade ao procedimento

-

A Polícia Civil (PCPR) implantou centrais de flagrantes por videoconferência no interior do Paraná. Até o momento, 98 municípios já contam com o serviço que deve ser expandido. O novo sistema emprega tecnologia e inovação, trazendo mais eficiência ao trabalho policial, além de otimizar recursos humanos.

Os resultados impactam tanto na PCPR, com a liberação de policiais civis para se dedicarem às atividades de investigação, quanto às demais forças de segurança, pois o tempo de permanência dos agentes nas delegacias para conclusão dos procedimentos de flagrantes é reduzido consideravelmente.

As cidades beneficiadas fazem parte de sete subdivisões regionais da PCPR: Cascavel, Francisco Beltrão, Guarapuava, Laranjeiras do Sul, Paranaguá, Pato Branco e Ponta Grossa. A Polícia Civil planeja centrais de flagrantes em outras cinco subdivisões regionais: Jacarezinho, Cornélio Procópio, Paranavaí, Umuarama e Foz do Iguaçu.

PLANTONISTAS

Os procedimentos das prisões em flagrante das delegacias locais passam a ser feitos através de videoconferência, por uma equipe plantonista lotada na sede de cada subdivisão. Um delegado e um escrivão são escalados para fazer o plantão diário para cada uma das regiões. Na outra ponta, as equipes trabalham por videoconferência com os investigadores plantonistas, que estão nas delegacias. Todo procedimento é gravado, garantindo rito normal ao auto de prisão em flagrante.

EFICIÊNCIA

O delegado-geral adjunto, Riad Braga Farhat, afirma que as centrais vêm para ajudar no trabalho das forças de segurança em atuação no interior. Antes do uso da videoconferência, era comum policiais civis estarem sempre restritos à vida na comarca, já que poderiam estar sujeitos ao recebimento de um plantão.

Da mesma forma, os policiais militares responsáveis pelo flagrante conseguem concluir o procedimento com mais rapidez e ficarem disponíveis para outra ocorrência, sem precisar aguardar a chegada de policiais civis de sobreaviso.

“Ao fazer isso, nós liberamos os demais delegados, escrivães, deixando apenas um 24 horas por dia à disposição da Polícia Militar para realização dos flagrantes. Isso acelera, e muito, os trabalhos da Polícia Civil, desafogando uma gama gigantesca da instituição”, diz Farhat.

AMPLIAÇÃO

O delegado-chefe da divisão da Polícia Civil para o Interior, Lanevilton Moreira, afirma que o projeto traz vários benefícios, pois oferece mais transparência ao serviço de polícia judiciária, dá mais credibilidade aos resultados apresentados, diminui o tempo de resposta e permanência de equipes de policiais militares em unidades policiais e ainda melhora a qualidade de trabalho do policial. 

“É um programa amplo que já está sendo executado em várias regiões do Paraná. Agora vamos implementar uma fase de avaliação dos resultados já alcançados, da metodologia de trabalho para que possamos fazer melhorias e fechar o atendimento em 100% dessa forma”, explicou Moreira.

Veja Também