Guarapuava, 21 de julho de 2019
Esporte

Com contratos de jogadores e técnico se encerrando na próxima segunda-feira (15 julho), o PSTC Procopense não sabe se fará o segundo jogo da decisão em caso de agendamento para data posterior

-

A sina do futebol paranaense de campo é de problemas extracampo. Principalmente nas divisões inferiores.

Após conquistarem o acesso à Primeira Divisão, PSTC Procopense e CE União deveriam fazer a grande final da Divisão de Acesso em dois jogos (ida/volta).

Mas a definição das datas enfrenta um dilema envolvendo o PSTC. Segundo seu gerente de futebol, Renato David, o contrato dos atletas e do técnico Reginaldo Vital termina na próxima segunda-feira (15 julho). Ou seja, o clube teria de fazer as duas partidas da final até segunda, sob o risco de ficar sem elenco para enfrentar o adversário de Francisco Beltrão.

“Porque o campeonato estava para finalizar no dia 14 de julho, o qual o PSTC conquistou o direito de decidir no domingo em casa. Era previsto para o jogo ser quarta-feira [dia 10 de julho] e domingo [dia 14]. O primeiro jogo em Francisco Beltrão e o segundo em Cornélio Procópio”, explica David, em entrevista ao CORREIO.

Segundo ele, existe um imbróglio difícil de resolver. Principalmente porque a equipe do União insiste em jogar no domingo, recusando a quarta-feira. Inclusive, até o meio da tarde desta quarta-feira (10) a Federação Paranaense de Futebol (FPF) ainda não havia homologado em seu site as datas da final. Ou seja, sem possiblidade da primeira partida ocorrer nesta quarta.

Por outro lado, a assessoria de comunicação da entidade garantiu que ocorrerá a final.

A situação se agrava ainda mais porque o PSTC, segundo seu gerente de futebol, pode não jogar a segunda partida da final em caso de ser marcada após o dia 15 de julho. “Como é que faz para jogar depois? Bom senso não tem nenhum. Era pra estarmos todos comemorando: Francisco Beltrão, PSTC e Federação pelo acesso”, diz David, lamentando esse possível desfecho à Segunda Divisão de 2019.

DATAS

Na avaliação do gerente de futebol do PSTC, as finais poderiam ocorrer na sexta-feira (12 julho), em Francisco Beltrão; e segunda-feira (15 julho), em Cornélio Procópio. “Nós também seríamos prejudicados de jogar numa segunda-feira, dia de semana, à noite”, afirma, dizendo que a falta de colaboração do União não prejudica apenas o PSTC, mas principalmente o campeonato. “É lamentável que isso tudo esteja acontecendo”.

Mas David ainda espera que a FPF publique nesta quarta-feira as datas da final. Em caso de definição do segundo jogo para depois da segunda-feira (15), a equipe de Londrina (mas que manda seus jogos em Cornélio Procópio) não terá elenco para jogar.

Por enquanto, o gerente de futebol garantiu que o PSTC jogará apenas a primeira partida, pois está dentro do prazo de vigência do contrato dos jogadores. “Mas o que vai acontecer após isso, não sei te dizer”, acrescentando que desconhece o tipo de sanção que seu clube pode sofrer em caso de ausência no segundo jogo.

O CE União também conquistou uma vaga na final da Segundona e o acesso à Primeira Divisão de 2020 (Foto: Arquivo Pessoal/CE União)

UNIÃO

Já o presidente do Conselho Deliberativo do CE União, Alex Spada, afirma à reportagem que o seu clube toma como base o regulamento da FPF e a ata do arbitral para manter as duas partidas da final aos domingos.

“Não temos nada contra o PSTC, que é uma equipe vitoriosa como a nossa, que chegou à final”, diz, em entrevista ao CORREIO. “Mas nós estamos preparados para jogar desde a 2ª fase aos domingos”, destacando que é um respeito ao torcedor de Francisco Beltrão dar a oportunidade de assistir aos jogos do União no domingo. Spada observa que o seu clube é o que tem mais público em todo o campeonato.

Nesse sentido, o presidente afirma que o período climático não é adequado para fazer um jogo noturno, tendo em vista as baixas temperaturas no Estado.

Além disso, Spada diz que os campeonatos das divisões inferiores no Paraná não costumam terminar na data prevista. “Sempre há percalços”, dando como exemplo o próprio PSTC, cujos recursos no tribunal obrigaram a uma parada entre a 1ª e a 2ª fases do certame deste ano. “Os clubes precisam se precaver quanto a isso”.

Em resumo, Spada diz que o União está seguindo a sua programação de jogar as duas partidas da final aos domingos. Inclusive, ele espera que o PSTC faça o primeiro jogo, principalmente por uma questão desportiva e em respeito à torcida de F. Beltrão. "A gente espera que essa situação burocrática deles [PSTC] não interfira no espíriro esportivo e de festa que há entre as duas equipes", finaliza o presidente do Conselho Deliberativo do União.

 

**************Matéria com acréscimo de informações às 11h04 de 11/07/2019

Veja Também