Guarapuava, 25 de agosto de 2019
#curta!

Filmado em Pitanga, o curta-metragem está em processo de pós-produção e deve ser lançado no mês de julho de 2019

-

Luz, câmera… ação! Através das lentes do diretor pitanguense Flávio Dutra, o curta-metragem “Revide” irá mostrar uma perspectiva da relação entre o público infantil, o mundo digital e estereótipos.

Desenvolvido no município de Pitanga (a 90 km de Guarapuava), o filme apresenta um diálogo entre os gêneros de suspense e terror. “É a história de uma vítima de tráfico de órgãos que busca vingança mesmo estando ‘vazia’”, adianta.

Dutra explica que teve a ideia para o enredo enquanto estava em seu apartamento. “Fiquei pensando: ‘e se tivesse alguém parado com uma roupa cheia de sangue na rua olhando em minha direção?’”, diz, acrescentando que sempre teve vontade de trabalhar com essa temática.

Assim como grandes clássicos do cinema, a missão do diretor é fazer seu público ficar com a história grudada na cabeça. “Todos meus roteiros têm uma mensagem por trás”, ressalta.

Filme foi rodado em Pitanga (Foto: Divulgação)

PROTAGONISTA

Dentro da narrativa de “Revide”, coube à atriz paranaense Suelen Nefertari dar vida à protagonista Sara. Em suas palavras, a personagem é um quanto tanto peculiar, e justamente por isso interpretar adolescente foi um desafio. “Não foi fácil canalizar os aspectos emocionais dela, saibam disso”, afirmou ao CORREIO.

De acordo com Nefertari, as gravações conduzidas por Dutra foram práticas e agradáveis, e essa dinâmica contribuiu para o desenvolvimento do curta. “Acredito que tivemos o resultado que queríamos”, aponta Suelen, que já atuou em peças teatrais e comerciais, além de trabalhar como modelo.

Nesse caso, ela relata que houve um intervalo de apenas uma semana entre o convite para protagonizar o filme e o início das gravações. “Conheço e admiro o trabalho do Flávio há dois anos. ‘Revide’ foi uma surpresa para mim”, diz.

EXPERIÊNCIA

“Eu sempre gostei de dar liberdade para os atores e produção”, comenta o diretor, que se apaixonou pela sétima arte ainda na sua infância. Inclusive, o filme “Forrest Gump” (lançado em 1994 e estrelado por um jovem Tom Hanks) foi uma de suas inspirações.

“Acho importante você conhecer os diretores clássicos do cinema, conhecer as técnicas… mas você não pode ficar preso ao passado”, afirma, ressaltando que busca se manter em constante renovação em suas obras.

Entre sua caminhada no mundo cinematográfico, ele cita a criação do projeto "Tomats Filmes" em 2009, em que desenvolveu mais de cinco histórias com amigos, e outros três filmes que gravou em Pitanga, alguns anos depois.

LANÇAMENTO

De acordo com Dutra, o curta-metragem está em processo de pós-produção. Assim que estiver finalizado, o objetivo é inscrevê-lo em festivais nacionais e internacionais. “Acredito que vamos conseguir fazer a première no mês de julho”, afirma.

Veja Também