Guarapuava, 21 de julho de 2019
Cotidiano

Idealizado pelo gastrônomo guarapuavano Luís Antônio, o projeto ‘Cozinhando para o Futuro’ funciona há quatro meses no Colégio Estadual Professora Dulce Maschio, e já conta com 19 alunos participantes

-

“Bechamel”, “pêsto” e “bolonhesa” poderiam ser palavras estranhas aos ouvidos dos alunos do Colégio Estadual Professora Dulce Maschio, no bairro Xarquinho. Mas, desde o início do projeto “Cozinhando para o futuro”, os nomes difíceis da gastronomia estão cada vez mais presentes em suas rotinas.

A atividade foi implementada na unidade de ensino a partir da iniciativa de Luis Antônio e de sua esposa Charlini Schneider, que queriam desenvolver uma ação social no bairro em que moram. Assim, unindo a teoria e a prática da cozinha, o chef começou a ensinar.

“Vários deles gostam da gastronomia, e a gente dá um impulso, um treinamento. É como um curso básico de culinária”, diz, acrescentando que Charlini atua na área pedagógica.

Dessa forma, além da vontade do casal e do apoio do colégio, o chef conta que a iniciativa foi abraçada pela comunidade do Xarquinho. “Temos vários parceiros, várias pessoas ajudando. É uma ajuda necessária demais”.

FUTURO

Há quatro meses, 19 alunos da escola frequentam, sempre às segundas-feiras, no contraturno, as aulas do projeto, que já contaram com participação de profissionais da cidade. “Eles tiveram aulas teóricas de engenharia de segurança, história da gastronomia... Tem um cronograma para frente que vai até o final do ano”, explica.

Um dos participantes é Wendrik Rosa (15 anos), aluno do 1° ano do ensino médio. Ele conta que já aprendeu muitas técnicas na cozinha, como os cortes e o branqueamento.

“É uma coisa que antigamente não tinha. A gente consegue aprender no colégio uma coisa que a gente nunca pensou que ia ter”, diz, ressaltando que acha importante ter essa experiência em seu currículo.

Luís Antônio (de branco) é um dos idealizadores do projeto (Foto: Redação)

TÉCNICAS

De acordo com Luis, os alunos aprendem os aspectos básicos da gastronomia, indo de cortes até molhos como o bechamel e o bolonhesa, fundamentais para a criação de uma lasanha clássica.

Esse tradicional prato italiano, inclusive, foi desenvolvido pelo grupo durante as atividades desta segunda-feira (8). Da massa artesanal ao recheio, coube aos jovens realizarem todos os passos necessários na cozinha. “A gente passa uma base inteira da culinária do mundo”, completa o chef.

Esse é um dos aspectos preferidos de Maria Eduarda Santana de Souza (15 anos), que está no 2° ano do ensino médio. Ela afirma que pretende seguir os passos de sua mãe, que é cozinheira, mas que antes fazia apenas o “feijão com arroz”.

“O projeto caiu em uma ótima hora, e ajuda no mercado de trabalho e no sonho que eu quero realizar. Me ajudou bastante”, aponta, revelando que uma das receitas que aprendeu a fazer foi o nhoque. “Hoje eu fico sempre com as massas”, brinca.

Um dos pratos preparados pelos alunos do "Cozinhando para o futuro" (Foto: Redação)

SERVIÇO

“Cozinhando para o futuro” é um projeto desenvolvido voluntariamente na comunidade do bairro Xarquinho. Doações são importantes para que as atividades continuem sendo realizadas na unidade de ensino.

Para ajudar, basta entrar em contato com a direção do Colégio Estadual Dulce Maschio através do telefone (42) 36248937; ou por meio da página oficial do projeto no Facebook (CLIQUE AQUI).

Veja Também