Guarapuava, 21 de fevereiro de 2020
#curta!

O repertório foi composto por clássicos do rock até músicas atuais, contando ainda com uma música surpresa em homenagem a pequena baterista guarapuavana Marina (12 anos), que está há cinco meses em São Paulo fazendo sessões de quimioterapia

-

Ao som das baquetas de 130 bateristas, o público guarapuavano se encantou com a sincronia que deu som a 21 músicas consagradas durante a 3ª edição do Baterasso, que ocorreu neste domingo (9), no estacionamento do Shopping Cidade dos Lagos.

Nem mesmo a chuva impediu que os bateras tocassem e oferecessem ao público um belíssimo espetáculo sonoro e visual, com a imagem da água saltando nos pratos das baterias.

O repertório foi composto por clássicos do rock até músicas atuais, contando ainda com uma música surpresa em homenagem a pequena baterista guarapuavana Marina (12 anos), que está há cinco meses em São Paulo fazendo sessões de quimioterapia.

O evento, que contou com o apoio da Prefeitura de Guarapuava, foi um ótimo programa de domingo para aproveitar com a família, como no caso das irmãs Maria Luiza e Ana Beatriz de Lima, que foram ver o pai tocar. “Está muito legal, eu gosto de ver meu papai tocar e quero tocar bateria quando crescer”, contou Ana, de nove anos.

O desejo artístico é incentivado pelo pai, baterista há 23 anos. “A bateria é, praticamente, tudo pra mim. É um orgulho estar aqui e minhas filhas vendo. Vai ser um orgulho ainda maior quando elas estiverem participando no ano que vem”, contou o baterista Peterson de Lima.

O evento teve pequenos bateristas entre os participantes (Foto: Secom/Pref. Guarapuava)

Quem deixou o pai orgulhoso já nesta edição do Baterasso foi a pequena Luisa Ortiz (9 anos). Baterista há poucos meses, o evento serviu para confirmar seu amor pelo instrumento. “Eu gostei de tocar aqui, muito legal, quero voltar o ano que vem. Foi muito incrível pensar que tem 130 bateras tocando a mesma música, ao mesmo tempo”, contou.

Para o pai da Luisa, foi difícil conter a emoção ao ver a filha tocando. “Ela gosta muito de rock, começou a tocar bateria e ver ela aqui hoje, como pai, foi uma das coisas mais emocionantes que me aconteceu”, revelou Silvio Ortiz.

CERVEJAS

Além da boa música, os apaixonados por cerveja puderam aproveitar o Festival de Cerveja Artesanal, que teve início às 13h. A parceria entre os eventos fortaleceu a divulgação dos sabores das cervejas artesanais guarapuavanas.

“Tem tudo a ver com a proposta do Baterasso: a música, a interação do público, a cerveja combina com um evento de alegria como esse. É legal também porque muitos clientes estão aproveitando o evento para conhecer a cerveja artesanal”, relatou um dos organizadores do Festival, Eliezer Goulart.

(Foto: Secom/Pref. Guarapuava)

 

Veja Também