Projeto esportivo no Xarquinho quer tirar crianças das ruas

Nascido e criado nessa região, Patriki Santos está à frente de uma escolinha de futebol gratuita para crianças e adolescentes, cujo objetivo é promover atividade no contraturno escolar. O “start” dessa ação social será nesta semana, com treinos diários de manhã e à tarde

O jovem Patriki Santos (26 anos) cresceu jogando bola no Xarquinho, em Guarapuava. O futebol lhe deu esperanças e o levou a disputar categorias de base. Mas uma lesão o obrigou a encerrar a carreira antes de se profissionalizar.

Mas isso não o desanimou. Depois de voltar à comunidade natal, o ex-jogador teve a ideia, em 2017, de criar um projeto social. “Comecei a visitar os campos do Xarquinho e vi que a criançada de 11, 12 anos já estava fumando e bebendo”, diz, em entrevista ao CORREIO.

Assim, nasceu a ideia de uma escolinha, em que ele poderia ensinar tudo o que aprendeu com a bola e tirar as crianças das ruas, afastando-as da ociosidade e dos vícios. Nesta terça-feira (18 janeiro), caso não chova, Patriki dará o pontapé inicial dos treinos, tendo como palco o campo sintético do bairro.

“O meu projeto é tirá-los da rua e mostrar que o esporte é o melhor”, destacando que isso o motivou também a cursar Educação Física, pois ele vê como importante se qualificar para coordenar as atividades.

Aliás, os treinos serão dados de segunda a sexta-feira, de manhã (8h às 11h) e à tarde (14h às 17h), aproveitando o contraturno escolar de crianças e adolescentes. Enquanto os pais estão no trabalho, a molecada pode praticar o futebol sob coordenação de Patriki, que pretende focar na preparação física e no jogo. “Instruir aquilo que eu aprendi no decorrer dessa minha caminhada”, afirma.

À noite, o coordenador cumpre expediente num posto de combustível. Mas o intento das atividades diárias é fazer com que os meninos e meninas tenham uma ocupação. “Meu projeto é tirá-los da rua”.

Com o tempo, a ideia é expandir essa ação social para outros bairros de Guarapuava.

PARTICIPAÇÃO
No momento, Patriki Santos está sozinho na empreitada. Conta apenas com apoio de assistente social e psicólogo para orientações.

Porém, no quesito financeiro, precisa de ajuda para conseguir o material esportivo. Muitas crianças nem mesmo têm uma chuteira para jogar bola. “Estou em contato com bastante gente. Mas de concreto, ainda não saiu nada”, explicando que qualquer tipo de auxílio é importante. “Quanto mais ajuda vir, melhor”.

O projeto também necessita de bola de jogo e procura um espaço coberto para os dias chuvosos.

Já a comunidade do Xarquinho tem demonstrado apoio à ação social, parabenizando pela iniciativa. Um dos divulgadores é Joel Barbosa, que foi presidente da Associação de Moradores do Bairro Industrial Xarquinho (Ambix).

TALENTO
Além do cunho social, o projeto criado por Patriki Santos tem potencial para revelar novos talentos do futebol guarapuavano.

“Isso é consequência do trabalho que vai ser formado”, destacando que o intuito é tirar o jovem das ruas, mas se sair algum jogador será uma “medalha para o projeto”.

SERVIÇO
O projeto esportivo coordenado por Patriki Santos é totalmente gratuito. Mas necessita da colaboração espontânea da comunidade para fornecer material esportivo às crianças e adolescentes atendidos. No momento, o produto mais urgente é bola de jogo.

Quem puder apoiar, entre em contato com o coordenador, pelo telefone/WhatsApp: (42) 9 8864-8747; ou perfil no Facebook (www.facebook.com/patriki.carvalho).