Novo técnico do Batel projeta uma Terceirona mais difícil e complicada em 2021

Em entrevista ao CORREIO, o novo professor batelino do time profissional pretende montar uma equipe mesclada entre atletas das categorias de base e experientes. O primeiro objetivo será a classificação à próxima fase no Paranaense e, depois, a briga pelo acesso à 2ª Divisão de 2022

De adversário em 2017 a comandante da comissão técnica neste ano. Assim pode ser resumida a trajetória de Rubens Sanches, o técnico escolhido para dirigir o Batel no Campeonato Paranaense da 3ª Divisão, cujo início está previsto para outubro de 2021.

Quando era comandante do Rolândia Esporte Clube (REC), Maradona, como é mais conhecido, visitou o Rubro-Negro no Estádio Waldomiro Gelinski, na estreia da Terceirona de 2017. Naquele dia, o resultado foi de empate em um duelo equilibrado. Mas ficou na memória de Sanches a torcida maravilhosa de Guarapuava e a força do Batel.

Agora, o professor retornou à “terra do lobo bravo” para assumir o comando técnico do Rubro-Negro na 3ª Divisão 2021. Ele foi apresentado nesta segunda-feira (2 agosto) pela diretoria batelina.

Basicamente, Maradona pretende montar um elenco de jogadores mesclado entre meninos da base e atletas experientes. “Porque o atleta de qualidade, independentemente da idade, tem de jogar”, diz, em entrevista ao CORREIO. Ele conta que a ideia é formar um time compactado, homogêneo e que possa, primeiro, brigar pela classificação e, depois, buscar o acesso à 2ª Divisão de 2022. “Vamos trabalhar com os pés no chão, bem firmes e com muita seriedade”.

Nesta edição da 3ª Divisão, os 12 clubes serão divididos em dois grupos. O Batel estará no “B”, brigando por uma das duas vagas às semifinais contra Atlético Clube Paranavaí (ACP), Foz do Iguaçu FC, Grecal, Iraty SC e Patriotas FC. As partidas serão em turno/returno dentro do grupo, às quartas e aos sábados.

ESTILO
Respeitando a tradição do futebol sulista, Maradona pretende implantar um estilo moderno, com velocidade, pegada e transições. “Vamos trazer ao Batel essa transição, mas com qualidade técnica, postura tática e posicional”.

A partir do dia 15, o treinador pretende começar o trabalho, avaliando os meninos das categorias de base e os atletas recém-chegados. Vale lembrar que, desde janeiro deste ano, o Sub-19 vem treinando sob o comando do diretor de Futebol, Rocha, e participando de amistosos de olho na realização do campeonato estadual da categoria.

Inclusive, Maradona já teve a oportunidade de ver alguns jogadores em ação pelo Sub-19. “Tem algumas peças interessantes”, explicando que estão chegando atletas mais experientes que podem compor o time. Segundo o professor, não é a idade que vai ditar a escolha, mas sim a qualidade e o comprometimento.

Até a estreia na 3ª Divisão do profissional, a pré-temporada do clube guarapuavano deve durar cerca de 30 a 40 dias para que o técnico possa implantar sua filosofia de trabalho.

Maradona tem a experiência de dois acessos no Estado do Paraná (Foto: Cristiano Martinez/Correio)

NÍVEL
“A nossa 3ª Divisão este ano vai ser mais complicada do que a própria Divisão de Acesso”, avalia Maradona, destacando que a Terceirona será uma das mais difíceis dos últimos anos, a exemplo da edição de 2017 quando o REC comandado por Rubens Sanches obteve o acesso numa campanha invicta.

Porém, em 2021, o treinador batelino avalia que o grau de competividade está maior, com a presença de grandes equipes entre os 12 clubes participantes. Uma delas é o Foz do Iguaçu, que poderia estar na 1ª Divisão; ou Iraty e Paranavaí, que já foram campeãs da elite no passado. “E a camisa tem um peso imenso”, afirma Maradona.

CURRÍCULO
Após encerrar sua carreira de jogador profissional em 2008, Rubens Sanches começou a carreira de técnico.

Ele já treinou equipes tanto no cenário nacional quanto internacional, com destaque para clubes na Lituânia e Tunísia, fora do Brasil; além de times em Goiás, Minas Gerais, Santa Catarina, Paraná (com acessos em 2012 e 2017), São Paulo e região Nordeste.